Homeschooling por quarentena pode acelerar miopia em crianças

A necessidade de adaptabilidade e de reinventar nossos hábitos cotidianos veio junto com o Coronavírus. Com o isolamento social causado pela pandemia, o homeschooling – termo em inglês para ‘ensino em casa’ – é a solução mais segura para manter a rotina escolar das crianças em dia e evitar que as famílias corram o risco de contrair a doença. Essa nova realidade vem reduzindo a propagação da COVID-19 mas aumentando os casos de miopia infantil.

Se antes o seu filho só ficava conectado uma hora por dia para os momentos de lazer, agora ele usa o computador, tablet e celular também como uma fonte de estudo. As videoaulas, que são fundamentais para manter os pequenos conectados com a escola, fazem com que as crianças fiquem mais tempo em frente às telas. E esse hábito é completamente prejudicial para a saúde ocular e pode provocar a miopia infantil

A OMS (Organização Mundial da Saúde) aponta que o uso constante de tecnologia está aumentando os casos de miopia e prevê que, no próximo ano, cerca de 35% da população esteja sofrendo com o erro refrativo. Em 2050, os casos podem chegar a 52%. 

Com esses números alarmantes é impossível não se preocupar com os efeitos do homeschooling e tempo de tela das crianças no médio e longo prazo. Já que a miopia infantil também é capaz de gerar problemas de aprendizado, baixa autoestima e dificuldades de inserção social. Por isso, é importante ficar atenta e tomar os cuidados necessários! 

Relação da miopia infantil com as telas

Diante das telas, a criança tende a piscar menos e se esforçar para manter o foco. Ou seja, essa repetição que os músculos dos olhos precisam fazer causa a fadiga, que pode levar à miopia infantil e a outros erros de refração com o passar do tempo. A luz azul emitida pelos aparelhos eletrônicos também provoca o ressecamento nos olhos.

No longo prazo, esses maus hábitos podem causar dificuldade para identificar objetos a distância, esforço para manter o foco, hipersensibilidade à luz, lacrimejamento em excesso e vermelhidão nos olhos.

Como evitar esse quadro?

Já que o homeschooling é a nova realidade e um método importante para manter o aprendizado, o ideal é restringir os outros momentos em que seu filho fica em frente às telas. 

Como passar algumas horas do dia no computador será inevitável por causa dos estudos, nos momentos de lazer, não deixe os eletrônicos entrarem como parte da brincadeira. Incentive o desenvolvimento de outros hobbies e atividades que não exigem tanto esforço visual. 

Além disso, estimular as pausas durante o tempo de tela também é essencial para manter a saúde ocular da criança.

Idas frequentes ao oftalmologista

Mesmo que a criança não apresente nenhum sintoma de miopia infantil, as consultas regulares ao oftalmologista e exames de vista infantil são imprescindíveis para assegurar que seu filho possa se desenvolver de forma segura e sem desconfortos na visão. 

Caso o pequeno já esteja diagnosticado com a miopia infantil, também é necessário marcar uma consulta com o médico para fazer o acompanhamento, exames de rotina e indicar os tratamentos corretos. 

Dicas para as crianças usarem as telas sem risco!

  • Determine os horários corretos para seu filho usar os eletrônicos. É importante evitar o uso em períodos noturnos para não prejudicar a qualidade do sono. 
  • Faça brincadeiras e atividades ao ar livre.
  • Não instale equipamentos como televisão e computador no quarto da criança.
  • Diminua a luminosidade das telas durante o uso. 

O assunto é sério e o conhecimento é o primeiro passo para prevenir doenças oftalmológicas nas crianças. Por isso, aqui no Juntos pela Visão, incentivamos e conscientizamos sobre a importância de um diagnóstico ocular completo e precoce. Para entender mais sobre a miopia infantil e esclarecer todas as dúvidas, acompanhe o nosso blog

Posts Relacionados

Capa do artigo
Tampão no olho: por que seu filho deve usar?

Não é incomum ver uma criança usando tampão no olho. Mas, nem sempre as pessoas sabem quais causas motivam esse uso. Você sabe algo sobre isso? Caso não, fique tranquilo que falaremos mais sobre isso agora. 

O tampão ocular é indicado pelo oftalmologista quando, após o teste da visão infantil, é identificado que a criança precisa de tratamento para estrabismo ou ambliopia, também conhecida como visão preguiçosa.  

Saiba mais sobre a ambliopia 

A ambliopia é a redução da visão e é popularmente conhecida como “olho preguiçoso”. Trata-se da diminuição capacidade de enxergar (acuidade visual), em um ou nos dois olhos, quando não se encontra nenhuma lesão ocular no exame oftalmológico. 

Ela pode acontecer mesmo com uso de óculos e aparece devido a obstáculos no desenvolvimento da visão. Isso significa que o olho amblíope não apresenta um amadurecimento normal da visão. Sua incidência em crianças em idade escolar é de aproximadamente 4% e, em geral, é prevenível ou tratável nos primeiros anos de vida. 

Dentre as principais causas da ambliopia, estão: estrabismos, acentuadas anisometropias (diferença de “grau”) entre os olhos e catarata congênita.  

O ideal é que isso seja corrigido antes dos 7 anos e quanto mais jovem maior a eficácia do tratamento, que deve ser feito com o uso de tampão ocular. Ele irá obstruir o olho com visão normal e forçar a criança a usar o olho preguiçoso.  

Caso essa correção não ocorra até esta idade, a criança pode não só ter a redução da visão, como também dificuldade de localização, distorções e sensibilidade ao contraste.  

Saiba mais sobre o estrabismo 

A criança com estrabismo tem um desvio para dentro ou para fora em um ou nos dois olhos, o que faz com que não sejam paralelos. Quando eles não estão alinhados, o olho que está com a visão correta torna-se o dominante e o outro, que está sendo afetado, perde o foco, o que também prejudica a conexão com o cérebro. 

É importante destacar que é normal que as crianças apresentem esse desvio nos primeiros meses de vida. Porém, quando essa característica se mantém após os seis meses, é sinal que o bebê tem a doença e precisa tratá-la o quanto antes. 

Assim como no caso da ambliopia, o tratamento da criança com estrabismo se dá com o uso de tampão ocular. Com ele, a visão do olho saudável é impedida para forçar o afetado a enxergar corretamente. 

O uso do tampão pode ser um desafio 

O uso do tampão tende a ser rejeitado na maioria dos casos por causar vergonha e desconforto às crianças. Por isso, é muito importante que pais e responsáveis sejam muito sinceros sobre a importância de seu uso e deixem claro que é algo positivo e em prol de sua saúde. 

Para incentivar o uso, é recomendado que seja feito como uma brincadeira, com tampões coloridos e personalizados como a criança desejar. Caso mesmo assim o uso seja desafiador, seguem algumas dicas.  

No caso de bebês, uma boa opção é colocar o tampão alguns minutos antes de acordá-los. Já para crianças de 3 e 4 anos, vale comparar o uso temporário do acessório com outros itens limitantes e que conhecem, como aparelho dentário e gesso. Para crianças acima de 4 anos, é recomendado caprichar na explicação, então mostre a necessidade da visão binocular no dia a dia, o que pode ser feito ao mostrar um microscópio ou no binóculo. 

O tempo de uso diário varia conforme o caso, por isso use a criatividade para que se torne um acessório divertido. 

Fique de olho! 

É fundamental realizar o teste da visão infantil em suas crianças por volta dos dois anos de idade. Isso diagnosticará doenças como as citadas acima. E para as que já apresentarem estrabismo ou tiverem histórico de ambliopia na família, isso deve ser feito ainda mais cedo.  

Consulte um oftalmologista! 

Leia o artigo
Capa do artigo
Estrabismo convergente pode ser causado pela hipermetropia infantil. Saiba como tratar.

Você sabia que existe uma relação entre estrabismo e hipermetropia? Além de serem comuns em crianças, essas disfunções oculares também costumam estar acompanhadas uma da outra.


Embora comum, existem testes de visão infantil que ajudam a diagnosticar precocemente e tratar com mais facilidade estas e outras doenças da visão. Neste post iremos explorar um pouco mais sobre este assunto, qual a relação entre estrabismo e hipermetropia, e como tratar esta condição em crianças.

Entendendo o estrabismo e a hipermetropia

O estrabismo é caracterizado pelo desalinhamento intermitente ou constante dos olhos. Ele pode ser convergente, onde um dos olhos aponta para “dentro” do rosto – para a direção do nariz – ou divergente, onde aponta para “fora” – para a direção das orelhas.

Em recém nascidos, é comum a ocorrência do estrabismo intermitente – que não dura o tempo todo. Este fenômeno é natural e ocorre devido à imaturidade do sistema visual do bebê, que ainda não tem controle total dos músculos e nervos dos olhos. Esta condição costuma desaparecer sozinha com o tempo, entre o quarto e o sexto mês de vida da criança, quando seu sistema visual já está mais robusto.

Outra forma do estrabismo que pode ser comum em recém nascidos é o pseudoestrabismo. Como sugerido pelo nome,este não se trata de um desvio real dos olhos, mas sim a impressão de que este exista. O pseudoestrabismo ocorre devido ao formato das pálpebras ainda em desenvolvimento, que podem ocultar parte do olho e dar a impressão de alguma forma de desvio. Esta impressão também deixa de existir com o tempo, conforme o bebê cresce e o formato do seu rosto muda.

Já a hipermetropia tem como sintoma principal a dificuldade de enxergar de perto. Esta dificuldade é causada por um erro refrativo, onde a imagem é focada atrás da retina. Este desfoque geralmente ocorre quando o olho é um pouco menor do que deveria ser.

A hipermetropia também é comum em recém-nascidos, justamente porque estes ainda possuem olhos em desenvolvimento, sendo comum que sejam menores do que o normal. A hipermetropia infantil pode se corrigir sozinha com o tempo, mas ainda assim é altamente recomendado o acompanhamento médico para avaliar a necessidade ou não de algum tipo de tratamento.

Qual a relação entre estrabismo e hipermetropia?

Estrabismo e hipermetropia podem estar acompanhados um do outro em crianças porque altos graus de hipermetropia podem levar ao estrabismo.

Uma hipermetropia muito alta pode fazer com que a criança exerça um esforço muito grande dos músculos oculares, o que pode acabar causando um desvio convergente dos olhos. Esta condição é conhecida como estrabismo acomodativo, pois é decorrente da tentativa dos olhos de se acomodar à visão desfocada.

Testes de visão infantil  como o teste do olhinho são essenciais na detecção dessas disfunções oculares bem cedo na vida da criança, o que aumenta drasticamente a chance de tratamentos eficientes contra estrabismo e hipermetropia.

Qual o tratamento mais indicado para estrabismo e hipermetropia?

O tratamento do estrabismo pode incluir óculos de grau, lentes de contato, uso de tampão, exercícios oculares e cirurgia de alinhamento nos olhos.

Já a hipermetropia pode ser tratada com óculos, e a partir da estabilização do grau ou da idade suficiente, com lentes de contato ou cirurgia refrativa.

Quando estrabismo e hipermetropia estão acompanhados um do outro, o uso do óculos para correção do erro refrativo é o tratamento mais apropriado. Isso porque ao corrigir a hipermetropia – causa do esforço excessivo dos músculos oculares – os olhos deixam de desviar e voltam a se alinhar naturalmente.

Independente das causas, qualquer disfunção e tratamento devem ser diagnosticados e prescritos por um médico oftalmologista especializado em visão infantil. Não deixe de levar seu filho ao médico, e mantenha os testes de visão infantil em dia, para que qualquer doença da visão seja propriamente diagnosticada e tratada.

 

Leia o artigo
Capa do artigo
5 maneiras de evitar problemas de visão em crianças em casa

Não dá para negar, quando se trata de saúde a prevenção é a palavra-chave para a obtenção de bons resultados. E com a necessidade de manter o isolamento social por conta da pandemia do coronavírus é natural sentir-se preocupado quanto a possíveis problemas de visão em crianças, considerando a rotina em ambientes fechados e a alta exposição a dispositivos tecnológicos como televisão, tablet e celulares.

Em entrevista para Jornal de Brasília Núbia Vanessa Lima, oftalmologista da Secretaria de Saúde, pontua que houve um aumento de 39% no diagnóstico de crianças com miopia na rede pública clínica-hospitalar.

É importante ressaltar que 83% do aprendizado se dá através da visão, então é imprescindível tomar uma série de cuidados para evitar possíveis problemas oftalmológicos.

Como evitar problemas de visão em crianças?

Prestar atenção na higienização da casa é essencial para manter a visão em segurança, isso porque pequenos cuidados podem ser o suficiente para evitar o surgimento de enfermidades como alergias e conjuntivite. Confira 5 formas de evitar problemas de visão em crianças.

Forrar os travesseiros com capas impermeáveis

Ao longo do tempo é normal que os travesseiros acumulem ácaro e poeira, mas isso os torna um grande causador de alergias. Ao adotar capas impermeáveis para o objeto, você protegerá a visão da criança, garantindo que ela durma e tenha contato com o objeto em maior segurança. Vale ressaltar que o uso dessas capas assegura também a maior vida útil do travesseiro.

Evite tecidos que acumulem poeira

No dia a dia é possível que alguns itens da casa passem despercebidos na hora da limpeza, como o tapete da sala, cortinas e até bichos de pelúcia. Mas, negligenciar essas objetos na hora da faxina pode significar o acumulo de fungos, ácaro e poeira o que está diretamente relacionado com alergias e conjuntivite. 

Adote tecidos impermeáveis ou que sejam pouco porosos para esses itens e busque mantê-los sempre limpos. 

Cuidado com o ar condicionado

Estar em casa pode significar o aumento do uso de ar condicionado, entretanto isso pode causar problemas de visão em crianças. Isso porque a utilização desse objeto reduz a umidade do ar, o que é um potencial fator para a irritação dos olhos. Caso seja imprescindível o uso do ar, o ideal é agendar uma consulta com o oftalmopediatra para que ele possa prescrever um colírio adequado.

Mantenha os ambientes fechados

Evitar a circulação de ar no ambiente é um grande aliado para a prevenção a problemas de visão em crianças. Isso evita que sujeiras, poeiras e até mesmo o excesso de poluição entre na casa e melhora a qualidade do ar.

Limpe os pelos do pet

Animais podem ser grandes amigos das crianças, entretanto o acumulo de pêlo pela casa pode se tornar um problema para a visão, por isso, o ideal é manter sempre a tosa em dia e pentear o pet para que o excesso de pêlo saia na escova.

Para saber mais sobre os cuidados necessários para evitar problemas de visão em crianças, o ideal é manter os exames como o Teste Digital do Olhinho em dia, assim como ter consultas regulares com o oftalmopediatra. Saiba mais sobre isso no post: Teste de visão infantil: como é feito.

Leia o artigo