8 equipamentos oftalmológicos essenciais para o seu consultório

A tecnologia transformou para sempre a forma como nos relacionamos com o outro e com o mundo. Na área da saúde, ela tem gerado inúmeros benefícios para médicos e pacientes. Mas, falando especificamente dos profissionais, existe o desafio de manter constante atenção para as tendências em aparelhos, equipamentos oftalmológicos e procedimentos de exames, análises e tratamentos.  

Pensando em você, médico responsável pela saúde dos olhos, listamos a seguir os equipamentos oftalmológicos essenciais para o bom funcionamento do seu consultório.  

Aparelhos que todo oftalmologista deve ter: 

  1. Biomicroscópio ou lâmpada de fenda

Trata-se de um equipamento que alia um microscópio a uma fenda de luz de alta intensidade e é utilizado para avaliar as seguintes estruturas do olho: pálpebra, esclera, conjuntiva, íris, cristalino e córnea. No momento do exame, o paciente, que fica sentado em uma cadeira, repousa o queixo e a testa em um suporte para garantir que a cabeça fique imóvel. 

  1. Lensômetro

Utilizado para conferir o grau das lentes de óculos ou contato. É comum vermos esses aparelho em óticas, mas ele também é bastante útil no consultório.  Dê preferência à versão digital, que tem um resultado mais preciso, reduzindo as chances de eventuais erros humanos. 

  1. Negatoscópio

A estrutura deste aparelho conta com um vidro leitoso, quadrado ou retangular, à frente de uma lâmpada fluorescente por trás. À frente dele, coloca-se a radiografia para que a imagem seja observada com mais clareza pelo oftalmologista. 

  1. Oftalmoscópio

Equipado com um feixe de luz vermelha para o fundamental Teste do Olhinho (Teste do Reflexo Vermelho), permite mapear 30 graus do globo ocular, detectando sinais de doenças importantes, como glaucoma e catarata, além de lesões e tumores na retina. 

  1. Refrator

Este, sem dúvida, é o equipamento de primeira necessidade de um consultório de oftalmologia, tendo em vista que serve para detectar o grau que o paciente precisa na utilização de óculos ou lentes de contato. 

  1. Retinógrafo

O retinógrafo é um dos equipamentos oftalmológicos mais modernos e com sistema avançado de mapeamento e avaliação da retina, baseado em imagens digitais de alta resolução. O Retcam Envision é um modelo de alta tecnologia. Além de possuir alta capacidade de diagnóstico de Retinopatia Prematura e o Retinoblastoma, este equipamento possui Angiografia, com possibilidade de imagens detalhadas em alto contraste das estruturas internas do olho.  

É também integrado com sistema de telemedicina, conectado a uma rede de diagnóstico online. 

O RetCam Envision fornece ainda integração PACS contínua e recursos de rede aprimorados com total segurança no armazenamento das imagens 

  1. Tonômetro

Utilizado para medir a pressão interna do globo ocular, o tonômetro é muito útil quando há pacientes com suspeita de glaucoma. No mercado, existe a versão portátil, que se destaca pela facilidade na operação, pelo design ergonômico, pelo display ambidestro e pela bateria de longa duração. 

  1. FAROS

A plataforma cirúrgica Faros permite a cirurgia ocular de mais alto nível, permanecendo facilmente operável e controlável. O Faros compacto está disponível como um dispositivo para cirurgia do segmento anterior ou como um sistema combinado para cirurgia do segmento anterior e posterior. A bomba SPEEP exclusiva torna o fluxo e o vácuo facilmente controláveis, resultando em fluídica insuperável. O controle de fluxo preciso da bomba peristáltica torna o trabalho do cirurgião mais fácil e seguro do que antes. A tecnologia easyPhaco resulta em estabilidade de câmara sem precedentes. A ponta de capsulotomia HF fornece uma capsulorrexe incrivelmente simples. O inovador cortador de fluxo contínuo garante a remoção do corpo vítreo sem tração, enquanto a nova fonte de luz Power LED fornece 45% mais energia de luz no segmento posterior. Além disso, o Faros também contém um aplicativo HFDS integrado para cirurgia de glaucoma. 

Invista em diferencial para sua clínica 

O Brasil conta com mais de 16 mil oftalmologistas, sendo que mais da metade deste grupo (57%) se concentra na região Sudeste do País, de acordo com o último censo realizado pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia. 

Para se diferenciar entre os demais profissionais, o ideal é que o médico invista constantemente na própria especialização e na qualificação do seu time de profissionais, além de oferecer em seu consultório o que há de melhor em tecnologia, tratamento e procedimento. Tudo isso agrega valor à saúde do paciente, ao seu negócio e à sua imagem profissional. 

Posts Relacionados

Capa do artigo
Tecnologia: excesso de exposição às telas cria novas doenças nos olhos

A miopia já é apontada como a epidemia do século pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A previsão é de que em 2020 cerca de 35% da população brasileira esteja sofrendo com essa doença nos olhos. Mais assustador ainda é pensar que até 2050 esse índice pode chegar a 52%.

A questão é que a saúde dos olhos deixou de ser prioritariamente baseada em fatores genéticos. Hoje, o excesso de exposição da visão das pessoas às telas de TV, smartphone e monitor de computador começam a disputar liderança nas causas de doenças oculares.

Duas novas doenças dos olhos muito comuns

Infelizmente, seja por conveniência, necessidade ou descuido, as crianças têm passado cada vez mais tempo diante das telas de TV, smartphone e monitor de computador. Os jovens e adultos, por sua vez, acabam recorrendo aos dispositivos para estudo, entretenimento, informação ou trabalho. Esse novo hábito criou duas novas doença nos olhos:

#1 – Falsa miopia

A miopia é caracterizada pela dificuldade que uma pessoa tem de enxergar objetos, pessoas ou elementos que estão longe do seu local de origem. Pensando no aspecto genético, esse erro de refração pode ser diagnosticado após constatar-se que o olho da pessoa é mais longo do que o normal, o que faz com que os raios solares e de luz sejam focados na retina e prejudiquem a visão de longe. Agora, considerando as questões de hábitos de vida, é possível que um ser humano adquira falsa miopia devido à contração da musculatura do olho, já que, na maior parte do tempo, prefere-se fixar os olhos em telas que estão ao alcance das mãos, no lugar de contemplar o que está mais distante. 

#2 – Síndrome da visão de computador

Essa doença nos olhos, que tem entre seus sintomas o embaçamento temporário da visão, é causada pela exposição às telas durante longos e ininterruptos períodos. Em geral, o incômodo ocular pode vir acompanhado por cansaço, secura nos olhos e dores de cabeça e no pescoço.

Bons hábitos para preservar a saúde dos olhos

Estamos na Era Digital, então não dá para pedir que os pacientes simplesmente se afastem dos recursos tecnológicos para não adquirirem doença nos olhos. Mas, é possível orientá-los a ter bom senso no tempo de contato com telas de TV, smartphones e computadores, além de adotar algumas boas práticas:

  •     Evitar a luz direta nos olhos com o uso de óculos ou telas protetoras;
  •     Manter o ambiente iluminado com luz natural ou artificial;
  •     Manter uma distância mínima de 50 centímetros da tela;
  •     A cada 1h30 fixar os olhos em objetos à distância; 
  •     Piscar com frequência para lubrificar os olhos.

Atenção especial à saúde dos olhos das crianças

A recomendação da Academia Americana de Pediatria para a saúde dos olhos é que as crianças menores de dois anos de idade não sejam expostas a aparelhos tecnológicos. Dos dois aos cinco anos, o tempo de uso diário de dispositivos não deve ultrapassar uma hora. Já crianças com mais de cinco anos e adolescentes devem ficar conectadas até, no máximo, duas horas por dia.

Os prejuízos vão além da doença nos olhos

É importante que, no momento da consulta, o oftalmologista explique ao paciente que os problemas relacionados ao excesso de contato com a tecnologia vai muito além da saúde dos olhos. O hábito pode causar, por exemplo, alterações posturais, hiperatividade, distúrbio social e déficit de atenção.

Agora que você já recebeu ou relembrou todas essas informações, empenhe-se em orientar os pacientes a desfrutarem de todos os benefícios gerados pela tecnologia, mas sem deixar de manter constante atenção ao que ela tira da nossa vida, seja em relação à saúde, qualidade de vida ou relação com as pessoas.

Leia o artigo
Capa do artigo
Blefaroplastia com Plasma: conheça o equipamento que vai revolucionar o procedimento

Com a crescente procura por procedimentos estéticos não invasivos, principalmente na região dos olhos, surgem cada vez mais novas e avançadas tecnologias para endereçar essa demanda. Chamada de blefaroplastia, a cirurgia cujo objetivo é melhorar a aparência das pálpebras nunca foi tão simples e indolor com as alternativas disponíveis no mercado brasileiro de oftalmologia estética, sendo a mais recente e revolucionária delas a máquina de plasma Plexr Plus. 

O que é e como funciona a Plexr Plus? 

Comercializada no Brasil pela Advance Vision, empresa pertencente ao grupo JLHealth que atua no setor de saúde desde 2002, a Plexr Plus é uma máquina que utiliza energia ionizada para realizar procedimentos estéticos e médicos não cirúrgicos, sendo um deles a blefaroplastia com plasma. Com mais de dez anos de estudos científicos publicados e comprovados, a tecnologia de plasma oferece segurança e precisão em suas aplicações, garantindo o conforto do paciente e uma recuperação rápida e quase indolor. 

A Plex Plus opera convertendo o gás em estado sólido em plasma, formando uma pequena descarga elétrica na ponta do dispositivo que cria um efeito térmico controlado, permitindo a vaporização precisa e seletiva da pele, sem causar danos aos tecidos adjacentes. Sendo a primeira tecnologia de plasma voltada para procedimentos oftalmológicos, a Plex Plus agrega diversos benefícios à rotina dos oftalmologistas estéticos, como:  

  • Procedimento minimamente invasivo: Ao contrário da blefaroplastia tradicional, que envolve cortes e suturas, a Plexr Plus oferece uma abordagem não cirúrgica, minimizando o trauma para o paciente. Isso resulta em menor tempo de recuperação e menos desconforto pós-operatório. 
  • Ausência de pontos e cicatrizes visíveis: Utilizando pequenas incisões pontuais na pele, que são praticamente invisíveis, o equipamento elimina a necessidade de pontos ou suturas.  
  • Resultados naturais: A blefaroplastia com plasma permite um controle mais preciso e personalizado do procedimento, garantindo uma aparência rejuvenescida e equilibrada, sem artificialidade. Isso ocorre porque a intensidade do tratamento pode ser ajustada de acordo com as necessidades do paciente, gerando resultados estéticos mais naturais. 
  • Baixo risco de complicações: Por se tratar de uma técnica segura e confiável, o risco de complicações associadas à cirurgia tradicional, como infecções, sangramento excessivo ou reações adversas à anestesia, é muito menor, uma vez que o procedimento não é invasivo e pode ser performado com tranquilidade pelo oftalmologista estético. 
  • Tempo de recuperação reduzido: A recuperação após a blefaroplastia com a Plexr Plus é mais rápida e indolor em comparação com a cirurgia tradicional. Isso significa que o paciente pode retornar às suas atividades diárias em um curto período de tempo, sem a necessidade de um longo afastamento do trabalho ou de compromissos sociais. 

A Plexr Plus representa uma inovação significativa no campo da oftalmologia estética, sendo um diferencial muito importante para oftalmologistas estéticos e oculoplásticos que querem elevar o nível de seus atendimentos e de seu consultório. Para saber mais detalhes técnicos e obter uma cotação, entre em contato com o time comercial da Advance Vision. 

 

Leia o artigo
Capa do artigo
A telemedicina no dia a dia do oftalmologista

A Telemedicina já é uma realidade. Com o progresso da tecnologia era esperado que ela também afetasse e transformasse o mercado de saúde. Com  a pandemia de COVID 19, a implantação de processos digitais foi mais rápida e urgente, e a Telemedicina que já era uma realidade, se tornou ainda mais difundida entre pacientes e médicos.   

Mas, como isso pode ser absorvido e como afeta a área da Oftalmologia? A realidade é que muitos equipamentos de oftalmologia se tornaram grandes aliados na chegada da telemedicina.  

Como funciona a Telemedicina na Oftalmologia?  

Em linhas gerais, a Telemedicina pode ser aplicada na Oftalmologia tal como é feito na maioria das especialidades, com uma consulta onde médico coleta os dados clínicos do paciente, faz análise de exames prévios e pode realizar alguns testes de visão para auxiliar em um diagnóstico ou direcionamento para pedido de outros exames.  

Dentre os testes que podem ser feitos por telemedicina estão o Teste de Acuidade Visual, Campimetria e Teste de ishihara. Além desses, a Telemedicina funcionaria como uma possibilidade do médico fazer orientações e acompanhamento de cirurgias e tratamentos longos por meio da análise dos sintomas físicos relatados pelo paciente.  

Quais equipamentos de oftalmologia podem ajudar na Telemedicina?  

Um grande aliado na Telemedicina, é o retinógrafo RetCam Envision. Esse retinógrafo, além de fazer um exame de fundo de olho completo e extremamente acurado, possui uma operação simplificada e capacidade de envio de imagens e conexão em rede, o que por sua vez, possibilita que técnicos treinados realizem os exames e enviem para os médicos especialistas realizarem o diagnóstico de qualquer lugar do país. 

Essa ferramenta permite que os pacientes se desloquem apenas para a realização do exame, e usem da Telemedicina para todos os demais contatos com o oftalmologista com a segurança e otimização do tempo como principais benefícios,  

Além disso, o retinógrafo RetCam Envision fornece integração PACS contínua e recursos de rede aprimorados para total segurança no armazenamento das imagens. Melhora significativamente a eficiência do acompanhamento médico,  auxiliando na observação da evolução do tratamento com transferência manual de dados e arquivamento de imagens.  

Benefícios da oftalmologia via telemedicina 

Com a possibilidade do teleatendimento na oftalmologia, regiões com escassez de especialistas passam a estar cobertas e atendidas, além da possibilidade de fazer a prevenção e o diagnóstico de doenças oculares que podem ser graves, de uma forma muito mais otimizada e simplificada. 

Além disso, os pacientes com doenças crônicas como diabetes ou hipertensão, que ocasionam grandes danos na visão, podem ter um acompanhamento muito mais minucioso sem que precisem fazer grandes jornadas à clínicas e consultórios para monitorar a doença. 

E, como dito, os exames de fundo de olho, como retinografia e OCT, podem ser laudados pelo especialista para as orientações e conduta terapêutica através da Telemedicina. 

Benefícios para consultórios e hospitais 

As clínicas médicas têm muito a ganhar com a Telemedicina. A emissão de laudos a distância, como feitos com retinógrafo, amplia a capacidade e a agilidade de atendimento.  

Isso significa uma maior facilidade para acompanhamento de tratamentos longos, uma documentação em rede, que permita que vários especialistas possam acessar os laudos do paciente, mesmo que a longas distâncias, e uma redução de custos e fila de espera com atendimentos em consultórios com casos que uma teleconsulta pode obter resultado muito satisfatório.  

Com a chegada dessa realidade, a adaptação se torna um diferencial para o paciente, que também se beneficia de ter seu médico mais próximo e de uma forma otimizada, no acompanhamento do seu tratamento. 

Leia o artigo