Entenda porquê a catarata é um problema comum

Um diagnóstico de catarata pode assustar. Por isso, neste texto, trazemos informações relevantes sobre a doença para que você possa entender melhor o que é, que tipos de lente para catarata existem, se a cirurgia de catarata é simples, entre outros.  

Devemos ressaltar que, em todo caso, a indicação é sempre ir ao oftalmologista, fazer acompanhamento regular e buscar o tratamento já nos primeiros sinais.  

O que é catarata? 

A catarata é uma doença comum, que costuma se desenvolver após os 60 anos, mas também pode ser congênita e se manifestar já em bebês recém-nascidos. Trata-se do desgaste do cristalino do olho, que é a nossa lente natural, causando sua opacificação. Existem diferentes tipos de lente para catarata, que devem ser implatandas e cada uma tem sua especificação. 

 

Por que a catarata é mais comum após os 60 anos? 

Por se tratar de um desgaste natural de uma das partes internas do olho, ela tende a se manifestar mais comumente após os 60 anos, o que não significa que todas as pessoas a partir dessa idade receberão este diagnóstico. 

Existem hábitos ou doenças que possam acelerar seu aparecimento? 

Sim. A cirurgia de catarata é simples e, por isso, muitas pessoas não se preocupam com prevenção. Mas, o uso de colírios com corticoides, sem prescrição médica, por exemplo, pode causar aparecimento de catarata. Não só isso, o diabetes sem controle, além de traumas, exposição excessiva à radiação e inflamações também podem acelerar o aparecimento doença ocular. 

Quais são os sintomas da catarata? 

 Os sintomas mais comuns são a dificuldade de focar e a vista embaçada. Mas é comum também a sensibilidade à luz, vista duplicada e distorções. Quando o estágio da catarata já é avançado, o paciente poderá enxergar apenas vultos e sombras ou até mesmo evoluir para a cegueira.  

É necessário ficar atento quanto a dificuldade para dirigir, caminhar e realizar outras atividades cotidianas. Em geral o paciente dirá que tem dificuldade de fazer trabalhos minuciosos, como costurar, ler e também poderá relatar quedas.  

 A partir de quando é recomendável fazer a operação? 

 A cirurgia de catarata é simples, portanto pode ser feita em qualquer idade. O momento exato deve ser definido pelo seu oftalmologista e, geralmente é feita quando compromete a qualidade de vida do paciente.  

A cirurgia é rápida, simples e feita apenas com anestesia local. No cristalino opaco será inserida uma lente intraocular. A lente correta deve ser definida pelo oftalmologista de acordo com a necessidade do paciente, já que existem vários tipos de lente para catarata. 

 Até quando depois do diagnóstico é preciso operar? 

Uma vez diagnosticada deve ser tratada com a operação o quanto antes. Hoje em dia, não é necessário mais o período de amadurecimento. Inclusive, há riscos maiores em pessoas que operam em estágios avançados. 

Todos as pessoas com catarata podem operar? 

Sim. No entanto, deve-se fazer o acompanhamento médico e observar as doenças crônicas, tais como diabetes e hipertensão, que devem estar sob controle para a realização do procedimento de implante da lente intraocular, substituindo o cristalino acometido. 

Quais as consequências que a catarata não operada pode causar? 

Uma das consequências mais graves da catarata é a cegueira. Inclusive, a catarata é uma das maiores causas de cegueira no mundo, segundo o Conselho Brasileiro de Oftalmologia. Contudo, mesmo a cegueira provocada pela catarata é reversível, pois a substituição do cristalino por uma lente, corrigirá completamente a visão. 

Posts Relacionados

Capa do artigo
Por que você deveria medir a pressão dos seus olhos?

O exame de pressão ocular, que também é conhecido como Curva de Pressão ocular, é um exame médico que mede a pressão intraocular do paciente. Uma alta pressão está ligada ao Glaucoma, uma doença que é considerada a segunda maior causa de perda de visão no mundo.

Diferente de outras disfunções oculares, como a alta miopia, uma pressão alta nos olhos não possui sintomas imediatos, sendo esses demonstrados muitas vezes só quando algum outro problema decorrente desta anomalia se manifesta. Por isso, este exame é uma arma importante na prevenção contra a perda de visão.

Como o exame de pressão ocular pode ajudar a prevenir a perda de visão

A pressão intraocular é a forma como a medicina mede a taxa de produção e eliminação de humor aquoso, um líquido encontrado no interior dos nossos olhos. A produção e eliminação deste líquido devem estar em equilíbrio uma com a outra, do contrário ocorre um acúmulo do humor aquoso dentro do olho. Este acúmulo é o que ocasiona a pressão intraocular alta.

O exame de pressão ocular é geralmente feito com a ajuda de um instrumento chamado tonômetro. O aparelho sopra ar no olho do paciente e analisa os efeitos para realizar a medição. É um procedimento simples e indolor, mas deve ser realizado de 2 a 3 vezes no mesmo dia, em horários diferentes.

A pressão intraocular alta pode levar ao desenvolvimento do glaucoma, que por sua vez pode causar a perda de visão. A pressão alta dos olhos também pode ser sinal de outras condições, como diabetes, hipertensão arterial, anemia falciforme, alta miopia, trauma ocular, sangramento, tumor ocular, obstrução dos dutos de drenagem do olho e inflamações.

Dada esta relação entre a pressão intraocular e inúmeras disfunções do olho, a realização periódica do exame é uma ótima maneira de cuidar da saúde da sua visão.

A importância da pressão intraocular para pessoas com implantes

A medição da pressão dos olhos é especialmente importante para pacientes que passaram por procedimentos de implantes intraoculares.

Para pacientes que realizaram a cirurgia de catarata, sabe-se que uma das possíveis complicações causadas pela mesma é o aumento da pressão intraocular. Por isso é importante a realização do exame de pressão nos olhos para o acompanhamento pós-cirúrgico.

O mesmo se aplica para aqueles que realizaram implantes para a correção de alta miopia, pois esta também é uma possível complicação do procedimento. As Lentes EVO Visian ICL são desenvolvidas de maneira que minimiza o risco desta complicação ocorrer, mas ainda assim é recomendado o monitoramento da pressão intraocular após o procedimento.

Em ambos os casos, o aumento da pressão dentro do olho pode levar à perda de visão caso não seja tratado propriamente. Por isso, vale reforçar a importância dos exames e do acompanhamento médico. 

Converse com o seu oftalmologista sobre os exames de pressão intraocular

Ter exames médicos em dia é uma boa prática para a saúde geral do corpo, e para os olhos não é diferente. Infelizmente, muitas pessoas não realizam este exame tão importante, por falta de conhecimento ou pela ausência inicial de sintomas da condição.

Este exame simples pode te salvar de doenças como o glaucoma, e prevenir a perda de visão, por isso não deixe de conversar sobre o seu médico oftalmologista sobre ele.

É possível evitar a progressão do Ceratocone?

Leia o artigo
Capa do artigo
A Importância do Oculoplasta especializado em doenças oculares

Considerados órgão complexos e delicados, os olhos demandam cuidados específicos e profissionais cada vez mais especializados em tratar das particularidades da anatomia ocular. É o caso do oculoplasta, profissional do qual falamos recentemente, que vem ganhando cada vez mais destaque por desempenhar um papel extremamente importante no cuidado às doenças relacionadas às pálpebras, além do seu papel como um oftalmologista estético 

Este especialista vem se beneficiando cada vez mais dos constantes avanços no campo da medicina oftalmológica, expandindo as possibilidades de atuação e tratamento para as mais diversas patologias palpebrais, impactando positivamente a vida dos pacientes. 

A Advance Vision, empresa pertencente ao grupo JL Health, traz ao mercado brasileiro diversos equipamentos oftalmológicos que ajudam oftalmologistas das mais variadas especialidades a oferecer tratamentos cada vez mais inovadores para algumas das doenças citadas abaixo: 

  • Blefarite: Além das abordagens tradicionais, como a higiene palpebral e o uso de medicamentos tópicos, os avanços tecnológicos trouxeram opções adicionais de tratamento. Uma delas é o uso da tecnologia Agnes que, por meio de radiofrequência microagulhada, melhora a inflamação e a qualidade da pele das pálpebras, proporcionando resultados visíveis e duradouros. 
  • Celulite orbital: Apesar de sua gravidade, agora a patologia pode ser tratada de maneira mais eficaz graças aos avanços no diagnóstico precoce, técnicas cirúrgicas inovadoras e o uso apropriado de antibióticos. Além disso, um melhor cuidado dos pacientes com celulite orbital pode e deve ser fornecido por meio da colaboração interdisciplinar do oculoplasta com infectologistas e cirurgiões. 
  • Ptose Palpebral: Embora o tratamento já seja uma prática estabelecida, já estão disponíveis no mercado novas técnicas cirúrgicas minimamente invasivas, como a ptose palpebral endoscópica, que oferece resultados excelentes com menor tempo de recuperação. Essa abordagem não apenas melhora a estética, ao tratar o aspecto visível da pálpebra caída, como também ajuda na função visual, garantindo o máximo benefício para os pacientes. 
  • Tumores palpebrais: No campo do tratamento de tumores palpebrais, a tecnologia desempenha um papel crucial no diagnóstico e tratamento preciso. A tecnologia Agnes, por exemplo, oferece a capacidade de tratar lesões benignas da pele, como cistos e nevos, sem a necessidade de cirurgia invasiva. Além disso, técnicas de ressecção micrográfica de Mohs podem ser aprimoradas com o uso da tecnologia Plexr Plus, proporcionando resultados precisos e preservando a função e a estética  

É por isso que o oculoplasta especializado, para além de ser um oftalmologista estético, desempenha um papel crucial no tratamento das doenças oculares relacionadas às pálpebras. Munido das devidas tecnologias, como os equipamentos Agnes, Lavieen, Plexr Plus e Ultraformer 3, comercializados pela Advance Vision, a prática clínica se torna muito mais ampla ao oferecer opções de tratamento avançadas e eficazes, que garantem os resultados esperados pelos pacientes.  

É importante se manter sempre atualizado com as mais recentes inovações tecnológicas,  tendo sempre como principal objetivo o mais alto nível de cuidado oftalmológico e as melhores soluções, personalizadas para cada paciente. Para entender melhor como os equipamentos citados podem potencializar a rotina clínica, entre em contato com a equipe comercial da Advance Vision. 

Leia o artigo
Capa do artigo
O que saber antes de participar de um mutirão para cirurgia de catarata

A catarata se dá pela presença de uma opacidade parcial ou completa que afeta o cristalino (pequena lente natural) de um ou ambos os olhos, prejudicando a qualidade da visão. Com algumas causas possíveis (como histórico familiar, exposição aos raios ultravioleta e doenças variadas), é muito mais associada ao envelhecimento, uma vez que depois dos 40 anos os olhos passam por algumas mudanças que alteram a visão. 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a catarata é uma das principais responsáveis por casos de cegueira em todo mundo, com uma taxa de 51%. E, no Brasil, 30% das pessoas acima dos 60 anos sofrem com a doença. Desse total, pessoas de 65 a 74 anos representam 33,9% e as com mais de 75 anos marcam 55,5% dos afetados. 

Diante disso, têm crescido no país as iniciativas que visam solucionar os casos da doença, o que é feito apenas via cirurgia de catarata. São os mutirões. Você já deve ter ouvido falar de algum deles, não é mesmo? 

Os mutirões oftálmicos 

Os mutirões foram criados para colaborar com a redução das filas de espera pelo procedimento e há diversas iniciativas espalhadas pelo país. Ao mesmo tempo que ajudam muitas pessoas a curarem a doença, há relatos de problemas de saúde e sequelas causadas em pacientes após serem submetidos às cirurgias oferecidas por eles. 

Apesar das polêmicas que podem envolver o assunto, não se pode desconsiderar que os mutirões são a única alternativa para grande parte das pessoas que recorrem a ela. Além de ser importante reconhecer o esforço dos profissionais que se dedicam à cirurgia de catarata para viabilizar que os mutirões aconteçam, disponibilizando seu tempo e recursos, como a lente para cirurgia de catarata 

 O que levar em conta antes de participar 

Com tudo isso, se for de seu interesse participar de uma dessas iniciativas, é importante se informar e pesquisar sobre o tema. Para te apoiar, listamos aqui alguns itens que são o ponto de partida do que deve levar em consideração ao decidir passar pela cirurgia de catarata realizada em um mutirão.  

Confira: 

  • É uma cirurgia e demanda pré e pós-operatórios como qualquer outra: isso não pode ser negligenciado ou sua saúde estará em risco. 
  • Há pré-requisitos para a participação: além das questões médicas (de saúde do paciente), há os requisitos dos organizadores de cada mutirão, como idade mínima e a doença comprovada.  
  • Informe-se sobre o procedimento: consulte um oftalmologista, entenda quais são os exames necessários, como a cirurgia de catarata é feita, saiba mais sobre a lente para cirurgia de catarata, tire suas dúvidas e prepare-se antes de se inscrever. 
  • Pesquise sobre o mutirão, as condições do local de realização, verifique se recebe as orientações e o pré-operatório adequado, a presença de profissionais capacitados e cuidados com os pacientes, incluindo no pós-operatório. 
  • Converse com pessoas que passaram pela experiência da cirurgia e que, preferencialmente, tenham a realizado na mesma iniciativa que você deseja participar. 
  • Mantenha o acompanhamento médico após a realização da cirurgia 

Lembre-se: apesar de ser um procedimento rápido, é cirúrgico e envolve riscos. Os cuidados indicados pelos profissionais responsáveis por você nesse processo devem ser seguidos à risca – antes, durante e depois da cirurgia – para evitar complicações. 

Você sabia? 

A Advance Vision se dedica para apoiar os profissionais a oferecerem o melhor para você, paciente. Por isso, conta em seu portfólio com a CataRhex, plataforma portátil para a realização de cirurgia de catarata. Compacta e de alta tecnologia, é uma grande aliada para iniciativas como os mutirões de catarata.  

Leia o artigo