Entenda o porquê seu grau de miopia ainda não estabilizou

Eletrônicos cada vez mais presentes no nosso cotidiano, como celulares e tablets, são apontados por especialistas em miopia entre os principais culpados pelo aumento nos casos de problemas de visão no mundo. Estatísticas da Organização Mundial da Saúde (OMS) estimam que 30% da população com menos de 40 anos precisa ou necessitará de óculos para corrigir problemas de visão como miopia, astigmatismo, hipermetropia e presbiopia. 

Até então, essas alterações refracionais, como a miopia, que prejudica a visão de longe era vista como um problema de causa exclusivamente hereditária, mas hoje em dia, pelo aumento dos casos no mundo inteiro, ela é considerada uma epidemia em muitos países e a comunidade médica já afirma que nosso estilo de vida é uma das principais causas. 

Como consequência do número de casos, a procura pela cirurgia para corrigir miopia com o implante de lente intraocular (procedimento com excelentes resultados refrativos e menos invasivo) aumentou nos últimos anos e tem se tornado uma alternativa para diversas pessoas que desejam corrigir definitivamente o problema. Porém, apesar de ser rápida e segura, só é indicada para pacientes que já têm o grau de miopia estabilizado

Se você deseja realizar o implante de lente intraocular, mas ainda está com o grau em progressão, confira alguns fatores que podem influenciar nesse processo. 

Estabilidade do grau

Apesar de muitas vezes ocorrer por motivos incontroláveis, como fatores genéticos, o grau de miopia aumenta quando passamos muito tempo em frente às telas e não exercitamos a visão de longe. Pessoas que ficam o dia inteiro no computador, celular ou televisão costumam ter a sua disfunção agravada por conta desse péssimo hábito e acabam prejudicando a estabilidade do grau para a realização da cirurgia para corrigir miopia. 

Realizar atividades ao ar livre, ficar menos tempo em lugares fechados e aproveitar a luz natural, portanto, podem impedir que a miopia se desenvolva.

Caso você seja uma dessas pessoas que trabalha com o computador e não consegue fugir disso, uma dica é olhar para a linha do horizonte a cada 15 minutos, ou então, parar por algumas horas e ir para um local onde a visão não seja tão estimulada.

Usar óculos direto estabiliza o grau?

É importante entender que seus óculos ou sua lente de contato não funcionam como uma espécie de remédio para curar um problema ou até mesmo estabilizar um erro refrativo. A função dessas ferramentas é somente te dar uma melhor visão e conforto. Independente do uso, se o grau de miopia estiver geneticamente determinado a aumentar, isso vai acontecer. 

Por isso, se você não está conseguindo estabilizar o seu grau para realizar a cirurgia de implante de lente intraocular, a maneira mais eficaz é mudar seu estilo de vida e limitar o uso de telas no seu dia a dia.


Pré-requisitos para realizar a cirurgia para corrigir miopia

Efetuar a correção do erro refrativo para deixar de utilizar óculos ou lentes de contato é o sonho de muitas pessoas que sofrem de miopia. Mas, para poder realizar a cirurgia é necessário atingir a uma série de pré-requisitos como o grau de miopia para operação – que pode ser entre -6,0 e -18 dioptrias, com ou sem astigmatismo – e a estabilização do grau.

Por esse motivo, a cirurgia para corrigir miopia só é indicada para quem tem mais de 21 anos, idade em que o grau geralmente começa a estabilizar.  

Apesar de ser um procedimento rápido, simples e que apresenta excelentes resultados na melhora da qualidade de vida do paciente, a estabilização é importante porque a correção da miopia com a lente intraocular ICL é recomendada para corrigir o grau que você tem hoje, ou seja, ela e nenhuma outra cirurgia com a finalidade de correção refrativa, é a cura definitiva para o seu problema visual. 

Então, se o seu grau não está estabilizado por pelo menos 1 ano e ainda estiver em progressão, com o passar do tempo, ele vai voltar mesmo após a realização do procedimento. 

Posts Relacionados

Capa do artigo
Lentes de contato e outros hábitos que podem causar problemas de visão como o ceratocone

O uso de lentes de contato é algo que tende a ser polêmico: há quem ame e há quem não tolere o acessório. Apensar disso, o time dos favoráveis às lentes tem ganhado adeptos. 

Segundo pesquisa realizada pelo Instituto Penido Burnier, em Campinas (SP), o aumento no uso de lentes de contato foi uma tendência identificada na pandemia. O estudo realizado com usuários de óculos de grau constatou que houve um incremento de 10% no número de pessoas que passaram a usar lentes. Esse aumento também é motivado pelo crescimento da incidência de míopes (pessoas que apresentaram início ou piora na miopia, atribuídos ao uso prolongado de eletroeletrônicos). São pessoas que antes não precisavam de correção e agora precisam, e que muitas vezes acabam optando pelas lentes de contato. 

Entretanto, é imprescindível atenção e cuidado ao adotar tais lentes, pois seu mal uso pode trazer danos à saúde. 

Cuidados com o uso  das lentes de contato

O comportamento de risco com as lentes, como uso incorreto e a falta de higiene em seu manuseio, pode causar perda de visão e até mesmo do globo ocular. Isso pode soar como algo alarmista, mas o assunto é delicado e merece atenção.  

Pensando nisso, seguem dicas de cuidados que colaboram para evitar possíveis danos: 

Para manusear as lentes, lave bem as mãos com água e sabão e seque-as totalmente. 

Use somente a solução de limpeza específica para lentes de contato para higienizar e armazenar, não use soro fisiológico ou água. Faça movimentos de fricção e enxágue todos os dias após o uso. 

Após colocar as lentes nos olhos, diariamente descarte a solução multiuso que ficou no estojo e limpe-o com a própria solução.  

Substitua o estojo de armazenamento a cada 3 meses. 

Não use as lentes após a data de validade indicada pelo fabricante. 

Não durma com as lentes de contato, a menos que seja indicado pelo seu oftalmologista. 

Não molhe as lentes com água de qualquer espécie. 

Use colírios lubrificantes próprios para o acessório. 

As lentes de contato não substituem completamente os óculos, assim alterne diariamente o seu uso com eles. 

Faça higiene nos cílios diariamente com shampoo neutro ou produtos não oleosos próprios para o uso oftalmológico. 

As lentes de contato devem ser adaptadas e supervisionadas pelo oftalmologista. Sintomas como dor, queimação, olhos vermelhos, lacrimejamento, visão embaçada e sensibilidade à luz podem indicar que algo está errado. Atente-se e procure atendimento. 

Implante de lente intraocular 

Para as pessoas que não se adaptam ao uso das lentes convencionais ou desejam corrigir seu grau de miopia, incluindo a correção de alta miopia, há uma alternativa: o uso de lente intraocular. 

O implante intraocular (ou implante intraocular para alta miopia) é também uma boa opção para quem quer evitar os efeitos colaterais da correção feita por meio de cirurgia a laser, como a síndrome dos olhos secos e halos de luz. 

A cirurgia é de rápida realização, fácil recuperação e tem como principal diferencial corrigir o grau por completo, além de durar toda a vida do paciente e ser reversível, caso o paciente queira ou tenha a indicação. Outro ponto de destaque é que pode ser realizada por um amplo número de pessoas com miopia, incluindo aquelas com ceratocone e alto grau.  

 Atenção constante aos olhos 

Independentemente do uso de lentes (e mesmo que não tenha realizado implante intraocular para alta miopia), lembre-se que os olhos são órgãos sensíveis e é preciso cuidado com hábitos que possam afetá-los. Evite coçá-los excessivamente (isso pode causar ceratocone), usar maquiagem vencida e até mesmo colírios de outras pessoas, pois isso pode gerar doenças oculares. 

Leia o artigo
Capa do artigo
Visão dupla em crianças: o que é, causas, sintomas e tratamentos disponíveis

Também conhecida como Diplopia, a visão dupla ocorre quando há a percepção de duas imagens de um único objeto, ou seja, uma pessoa visualiza algo de maneira duplicada, o que pode acontecer de forma sobreposta ou lado a lado. Há, ainda, o formato mais simples da doença, que consiste na visão borrada.  

Esse problema oftalmológico afeta crianças e adultos, podendo ser muito preocupante quando ocorre na visão infantil. Nos pequenos, ela é difícil de detectar, o que reforça a importância de os responsáveis estarem cientes dos sintomas e causas para garantir um tratamento adequado o quanto antes, caso ocorra. 

Pensando nisso, na sequência apresentaremos mais informações sobre a doença. 

Causas  

A Diplopia é causada por alteração nos músculos ou nervos ao redor dos olhos, não sendo uma doença do olho propriamente dito, mas sim de sua posição. Existem várias causas possíveis para a doença em crianças. Algumas das mais comuns incluem:  

  • Problemas musculares nos olhos: como estrabismo, que ocorre quando os olhos não se alinham corretamente. 
  • Problemas de refração: miopia, hipermetropia ou astigmatismo 
  • Lesões na cabeça, que podem danificar os nervos cranianos que controlam os músculos oculares) 
  • Doenças oculares: como catarata ou glaucoma 

Vale destacar que, por definição, a visão dupla é sempre binocular, aparecendo com os dois olhos abertos. Ao tampar um olho de cada vez a visão dupla tem que desaparecer. 

Sintomas 

Os sintomas da visão dupla em crianças podem variar de leve a grave, dependendo da causa subjacente. Confira abaixo alguns sinais comuns e atente-se ao comportamento de seus pequenos: 

  • Desconforto ou dor nos olhos 
  • Dificuldade em ler ou escrever 
  • Inclinação da cabeça para um lado 
  • Dificuldade em ver objetos em movimento 
  • Dificuldade para visualizar objetos à distância 

Ao notar qualquer incômodo, busque ajuda profissional a quanto antes. Muitas vezes a criança não sabe explicar o que sente, então a atenção aos seus sinais é fundamental para um tratamento precoce, o que aumenta as chances de resultados positivos nos cuidados de qualquer doença. 

Tratamentos 

Felizmente, há tratamento para esse problema da visão infantil. A conduta adotada para isso dependerá da causa subjacente. Veja só: 

  • Problema muscular nos olhos: se essa for a causa da doença, pode ser necessário usar óculos ou realizar uma cirurgia.  
  • Problema de refração: para essa causa os óculos podem ser suficientes para corrigir o problema. Em casos mais graves, talvez seja necessário usar um tampão no olho para ajudar a fortalecer os músculos oculares. 

Se a doença em seu filho persistir mesmo com o tratamento indicado, é importante consultar novamente o oftalmologista o mais rápido possível. 

E lembre-se: jamais hesite em procurar um profissional caso suspeite de algum problema de visão infantil em suas crianças. Quanto mais cedo o problema for diagnosticado e tratado, maiores são as chances de evitar danos permanentes à visão. 

Leia o artigo
Capa do artigo
Conheça os diferentes tipos de miopia

A miopia é uma doença ocular que faz com que os olhos formem as imagens dos objetos observados de maneira incorreta. É uma condição muito comum – dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgados em 2019 apontavam na época que mais de um quarto da população mundial sofria de miopia. Estima-se que hoje esse número seja ainda maior. Graças a isso, existe um grande número de pessoas com preocupações relacionadas a esta doença, como a possibilidade de uma correção de miopia ou por que a miopia aumenta.

Uma informação que não é tão difundida é a de que esta doença se apresenta em vários tipos diferentes, e que também existe outra opção de correção de miopia além da cirurgia à laser. Se você também procura respostas sobre a miopia e quer saber mais sobre a doença e quais medidas pode tomar, este post é para você.

Correção de miopia: quais as opções?

Os tratamentos clássicos de miopia são bem conhecidos: Óculos de grau e lentes de contato. Estes são métodos de tratamento bastante efetivos, e permitem ao paciente míope a levar sua vida normalmente. Mas existe alguma opção de correção de miopia que dispense o uso de acessórios?

Primeiramente, é importante notar que miopia não tem cura, mas isso não quer dizer que não exista nenhuma solução. Para entender isso melhor, é necessário saber antes o que é a miopia.

A doença trata-se de um erro refrativo, isto é, um erro na maneira em que os olhos formam imagens ao receber a luz antes de transmitir esta imagem para o cérebro.

Em um olho saudável, a imagem se forma na retina, uma membrana situada no segmento posterior do olho. Pense em um projetor de imagens: A retina seria a tela onde a luz do projetor forma as imagens. Essas imagens são então transmitidas para o cérebro, onde serão processadas e interpretadas.

Já no olho míope, as imagens são formadas antes de chegarem na retina. Por causa disso, a imagem que é transmitida para o cérebro é desfocada – porque não foi projetada na “tela” ideal.

O motivo para não existir uma cura para a miopia é exatamente porque não se conhece na medicina moderna uma maneira que faça com que a imagem seja formada corretamente na retina em um olho míope. Existem, porém, métodos e acessórios que corrigem a imagem em si, por isso é usado o termo correção de miopia, ao invés de cura.

Já sobre quais são os métodos de correção, o mais conhecido é a cirurgia a laser LASIK. Este procedimento utiliza o laser para remodelar a córnea do paciente com o fim de corrigir erros refrativos. É recomendado para pessoas com mais de 21 anos e cujo grau de miopia tenha permanecido estável nos últimos 6 meses.

O método é bastante efetivo, porém possui algumas contraindicações. Por exemplo, pessoas com córneas mais finas podem ter problemas com este tipo de cirurgia, pois ela diminui a espessura da córnea de acordo com o grau da miopia. Além disso, estudos científicos encontraram relação entre o procedimento e o desenvolvimento de síndrome do olho seco.

Um outro método, considerado menos agressivo por não remover nenhum tecido corneano, é o implante de lentes intraoculares ICL. Estas lentes são feitas de materiais biocompatíveis e são capazes de corrigir de 6 a 18 graus de miopia. As lentes são implantadas atrás da íris. A recuperação dura poucos dias e o procedimento pode ser revertido sem nenhum risco adicional aos olhos. O implante também não causa síndrome do olho seco.

Tipos de miopia

Tendo um entendimento melhor sobre o que é a miopia, e quais as opções de tratamento e correção, vamos conhecer agora quais são os tipos existentes da doença.

– Miopia de Curvatura: é o tipo de miopia mais comum. É definida por uma curva mais acentuada do cristalino ou da córnea, fazendo com que a luz que passa pelo olho forme imagens antes de chegar na retina.

– Miopia Axial: esta variante ocorre quando o comprimento do olho é mais longo do que o comprimento óptico. Este tipo de miopia costuma ter graus mais elevados e também tende a evoluir ao decorrer da vida do paciente.

– Miopia Secundária: comumente apresentada em quadros de pacientes de idade avançada e que tenham glaucoma ou catarata congênita. É causada pelo deslocamento ou pela degeneração do cristalino.

– Miopia Congênita: É a miopia apresentada desde o nascimento. Também costuma ter graus mais altos.

– Miopia de Índice: Apresenta-se em pacientes de idade mais avançada. É caracterizada pelo aumento do índice refrativo do cristalino. Isso faz com que a pessoa consiga enxergar bem de perto e mal de longe.

– Miopia Degenerativa: Este é considerado o tipo mais grave de miopia. Isto porque ela pode causar a cegueira. É o tipo mais raro de miopia. Alguns fatores de risco que podem levar ao desenvolvimento deste quadro são idade avançada e a miopia do tipo axial (por estar relacionada a miopias de alto grau). Felizmente existem tratamentos bastante efetivos para este tipo de miopia, por isso é sempre importante ter o acompanhamento de um médico oftalmologista.

Por que a miopia aumenta?

A ciência aponta alguns fatores que podem fazer o grau da miopia aumentar com o tempo.

A genética é um desses fatores. Se um ou ambos os pais de um paciente apresentarem a miopia, ele terá uma chance maior de também desenvolver a condição, e também de que essa evolua com o tempo.

Outro fator é o alongamento do glóbulo ocular, que ocorre naturalmente ao decorrer dos anos. Este processo pode aumentar o grau de miopia.

Também há uma relação entre luzes naturais e artificiais com a evolução da miopia. Uma exposição diminuída à luz solar e natural faz com que o corpo produza menos dopamina. Este hormônio, entre outras funções, controla o alongamento do glóbulo ocular. Já a exposição prolongada a luzes artificiais e telas interfere com a produção de melatonina, outro hormônio que também está associado ao controle do alongamento do glóbulo ocular.

Passar muito tempo em ambientes fechados e internos também pode estar associado ao aumento do grau de miopia, uma vez que nesses locais nós utilizamos mais a nossa visão de perto, pois a maioria dos objetos sempre se encontra mais próxima.

Quais tipos de miopia podem ser corrigidos com implantes de lentes intraoculares ICL?

O procedimento se mostrou uma forma efetiva de correção de miopia de 6 a 18 graus.

Para a qualificação para o procedimento também é necessário que o paciente tenha entre 21 e 60 anos e que não tiveram nenhum aumento na prescrição de mais de 0,5 grau em um ano.

Todos os tipos de miopia citados acima podem ser corrigidos com lente ICL, lembrando que para todos, há necessidade de avaliação de exames, para certificar dentre eles, se o paciente apresenta espaço adequado, na câmara posterior, para inserir a lente. Além disso, o procedimento pode ser totalmente revertido em caso de novas opções de correção, ou grande alteração de prescrição.

Clique aqui para conhecer as Lentes Intraoculares EVO Visian ICL.

Leia o artigo