Cuidando dos Olhos na Primeira Infância: Práticas Recomendadas para Pais e Professores

 

A saúde ocular na primeira infância é fundamental para o desenvolvimento visual e o bem-estar geral das crianças. Assim, os cuidados com a visão infantil não podem ser deixados de lado. 

Os pais e professores desempenham um papel importante na preservação da visão dos pequenos nesta fase crucial. Com atenção ao desenvolvimento desse sentido, essas pessoas podem verificar pontos de alerta e, assim, até mesmo colaborar com o diagnóstico precoce de doenças, algo fundamental para aumentar as possibilidades de tratamento e cura. 

Se você convive com pequenos, é importante que se informe sobre esse tema! Por isso, pensando em apoiar pais e responsáveis, compartilharemos práticas recomendadas e informações valiosas para cuidar dos olhos na primeira infância. Confira abaixo. 

Tome nota: Cuidados com a visão infantil 

Olhos atentos para dicas de cuidados com a visão infantil: 

  • Agende exames oftalmológicos regulares 

O primeiro exame essencial é o teste do olhinho, realizado na criança recém-nascida ainda na maternidade. Paralelamente a isso, consultas oftalmológicas regulares são essenciais para monitorar a saúde ocular das crianças. Recomenda-se realizar o primeiro exame por volta dos seis meses de idade, seguido por exames adicionais conforme orientação médica. Essas avaliações ajudam a identificar precocemente problemas visuais e a iniciar o tratamento, se necessário. 

  • Mantenha uma alimentação saudável 

Uma dieta equilibrada é benéfica para a saúde dos olhos das crianças. Para isso, inclua no dia a dia alimentos ricos em nutrientes, como vitamina A, C e E, ômega-3 e zinco. Exemplos de alimentos saudáveis incluem cenouras, laranjas, vegetais de folhas verdes, peixes, ovos e nozes. Esses nutrientes desempenham um papel importante na saúde ocular e no desenvolvimento visual adequado. 

  • Estimule o tempo de brincadeiras ao ar livre 

Incentive as crianças a passarem tempo ao ar livre, brincando e explorando o ambiente externo. A exposição à luz natural e ao ar livre tem benefícios para a saúde ocular, ajudando a reduzir o risco de miopia. No entanto, lembre-se de proteger os olhos das crianças com óculos de sol apropriados e um chapéu de aba larga para evitar a exposição excessiva aos raios UV. 

  • Promova pausas durante o uso de dispositivos eletrônicos 

Na era digital, é importante monitorar o tempo que as crianças passam em dispositivos eletrônicos, como tablets e smartphones. Caso sua criança interaja com esses elementos, estimule pausas regulares e estabeleça limites para a exposição a telas, pois o uso excessivo pode levar à fadiga ocular e a problemas visuais como a miopia. Durante essas pausas, encoraje atividades que envolvam o uso dos olhos em diferentes distâncias, como ler um livro físico ou brincar ao ar livre.  

E lembre-se: segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), crianças de zero a dois anos não devem ser expostas a telas devido ao período de desenvolvimento neural e cognitivo. Conforme o crescimento, a orientação varia: de 2 a 5 anos devem ser limitadas a aproximadamente uma hora por dia; a partir dos 5 anos o acesso dever ser de duas horas e com monitoramento de conteúdo devido à influência emocional que alguns conteúdos podem exercer. 

  • Garanta uma boa iluminação 

Mantenha ambientes bem iluminados para facilitar a leitura e outras atividades que exijam foco visual. Evite a exposição à iluminação excessivamente brilhante ou muito fraca, pois isso pode colocar estresse adicional nos olhos das crianças. Além disso, em caso de uso de telas de dispositivos eletrônicos, evite o brilho excessivo ajustando essa função e usando filtros de luz azul, se necessário.  

  • Esteja atento a sinais de problemas visuais 

Fique atento a queixas e possíveis sinais de problemas visuais, como olhos lacrimejantes, vermelhos ou irritados, coceira, sensibilidade à luz, dificuldade de focar, piscar excessivo, desalinhamento dos olhos ou dificuldade de acompanhar objetos em movimento. Se observar algum desses sintomas, procure um oftalmologista para uma avaliação mais detalhada. 

Não tenha medo de exagerar nos cuidados 

O ponto de partida dos cuidados com a visão infantil é o teste do olhinho. Mas lembre-se, é somente a primeira medida e há muito que pode ser feito para complementar os cuidados, como vimos acima.  

Atente-se às consultas, exames regulares e a qualquer sinal de alerta da criança, seja ele físico ou comportamental. E tenha sempre em mente que cada criança é única, portanto, é importante adaptar essas práticas às necessidades individuais e buscar orientação profissional quando necessário.  

Ao cuidar dos olhos das crianças, estamos investindo em seu futuro e bem-estar visual. Fique de olho e cuide de seus pequenos! 

 

Posts Relacionados

Capa do artigo
Teste digital do olhinho dilata a pupila?

Quando o assunto é saúde do bebê todo cuidado é pouco. Por isso é tão natural que na hora de fazer um exame oftalmológico os pais sintam uma uma série de dúvidas, como se o teste digital do olhinho, dilata a pupila, se dói, se demora ou existem riscos e contraindicações. Entenda todas as particularidades dessa triagem, seu funcionamento e resultados.

O teste digital do olhinho dilata a pupila?

Essa é uma das principais dúvidas entre os pais. Dilatar a pupila ainda pode trazer um certo medo quando se trata da visão infantil, mas não há porque se preocupar.

Sim! O teste digital do olhinho dilata a pupila, mas de forma segura e acompanhada por profissionais. Para isso é utilizado um colírio antes do exame iniciar.

A dosagem e o tipo são prescritos pelo oftalmologista responsável, de acordo com a faixa etária.

Após a dilatação é adicionado um gel de interface entre o olho da criança e a lente acoplada à câmera, para que assim sejam feitas as imagens da retina.

O exame é rápido e indolor, indicado para crianças, recém-nascidos e até mesmo bebês prematuros. A dilatação da pupila é um processo seguro e que ajuda ao Retcam garantir excelentes imagens, permitindo a análise do nervo óptico e da retina.

Quais são os colírios utilizados para a dilatação?

No Brasil, o colírio mais utilizado para dilatar a pupila durante o teste digital do olhinho é a Tropicamida 1% e Fenilefrina 2,5%. A Academia Americana de Pediatria indica também o uso de duas outras opções, a Tropicamida 1% e Ciclopentolato 0,25% e Fenilefrina 2,5%.

O uso de qualquer um desses colírios é seguro, e a escolha de qual será usado deve ser feita pelo próprio oftalmologista. 

Por que o teste digital do olhinho?

A cada minuto uma criança fica cega no mundo. O dado é assustador, mas 80% desses casos poderiam ter sido evitados com um diagnóstico precoce. Isso já é suficiente para traduzir a necessidade de cuidar da visão desde o nascimento do bebê.

Ainda nas maternidades deve ser feita a primeira triagem oftalmológica, Teste do Reflexo Vermelho. Ele é prático e rápido, entretanto ele é capaz de detectar enfermidades apenas na parte da frente do olho.

O teste digital do olhinho dilata a pupila e é feito com um aparelho retinógrafo de última geração, o Retcam. Ele auxilia o Oftalmologista a detectar enfermidades, na parte posterior do olho, oferecendo uma avaliação de até 130º, possibilita uma avaliação abrangente da periferia ocular.

Sem dúvidas, o teste digital do olhinho é um dos grandes aliados na prevenção à enfermidades oculares em crianças, para saber mais sobre esse exame leia sobre tudo que você precisa saber antes de fazer o teste do olhinho.

Leia o artigo
Capa do artigo
5 exemplos da importância do teste do olhinho

Com quatro dias de vida, João Pedro foi diagnosticado com retinoblastoma, que é o câncer da retina. A detecção precoce da doença neste bebê e os benefícios que essa precaução trouxe à criança reforça a importância do teste do olhinho. É de extrema importância que ele seja realizado antes que a criança deixe a maternidade e, no máximo, até que ela complete um ano de idade. Neste post, você encontrará muitos outros motivos prestar mais atenção à saúde ocular dos pequenos.

Qual teste do olhinho realizar?

Tradicionalmente, antes de deixar a maternido ocular. O exame é gratuito na rede pública, enquanto na rede privada só garante gratuidade no procedimento a criança que possui planade, as crianças realizam o Teste do Reflexo Vermelho (TRV), realizado por meio do oftalmoscópio, que mapeia 30 graus do globo de saúde.

No caso do João Pedro, a detecção precoce e precisa do retinoblastoma só foi possível graças à realização do Teste Digital do Olhinho, com o apoio de um retinógrafo de última geração que mapeia 130 graus do globo ocular. Alguns hospitais públicos e privados, parceiros do Programa Juntos Pela Visão Infantil, já dispõem do aparelho.

Dados que exemplificam a importância do teste do olhinho

Muitas pessoas não sabem, mas as doenças oculares em recém-nascidos são mais comuns do que imaginamos. Para se ter uma ideia, basta saber que, de acordo com pesquisas, a cada minuto uma criança fica cega no mundo.

Veja outros números muito importantes que exemplificam a importância do teste do olhinho:

75% – Essa é a porcentagem de casos de cegueira em crianças que poderiam ser tratados ou prevenidos com diagnóstico precoce

83% – Porcentagem do aprendizado de um bebê no primeiro ano de vida por meio da visão 

33 mil – Essa é a estimativa anual e mundial do número de crianças que deixam de enxergar por conta de doenças oculares evitáveis

15 milhões – Esse é o número de crianças em idade escolar que apresentam algum erro de refração capaz de gerar problemas de aprendizado, baixa autoestima e dificuldade de inserção social

8 entre 10 – Estima-se que 8 em cada 10 casos de perda de visão em humanos poderiam ser evitados se detectados precocemente

Motivos para aderir ao Teste Digital do Olhinho

O Teste do Reflexo Vermelho, também conhecido como Teste do Olhinho, é muito importante para uma triagem inicial da saúde da visão da criança, mas ele não é suficiente porque patologias mais graves localizam-se na retina e o TRV só mapeia 30 graus do globo ocular. Dessa forma, complementar a investigação com o Teste Digital do Olhinho é importante para que, por meio do retinógrafo, seja possível:

  • Realizar o procedimento de forma minimamente invasiva, indolor e sem contraindicação;
  • Reduzir drasticamente as chances de cegueira em recém-nascidos;
  • Detectar mais de 29 patologias de leves a severas;
  • Identificar 67% das doenças genéticas;
  •     Ter um resultado rápido e preciso.

A falta de diagnóstico precoce é uma das principais causas de doenças crônicas em várias partes do corpo, inclusive nos olhos. Por isso, é preciso atenção dos responsáveis pela criança e dos médicos estejam cientes da importância do teste do olhinho para garantir a saúde ocular dos pequenos.

Leia o artigo
Capa do artigo
O papel dos pais no desenvolvimento cognitivo da criança

O desenvolvimento cognitivo prescinde da formação das várias funções cerebrais, dos sentidos naturais e da combinação entre elas, como a coordenação motora e o aspecto afetivo-emocional. É também essencial que se deem as condições adequadas para tal, que envolve a saúde física e a psicoemocional. A reação ou não aos estímulos dados é um indicativo importante de como anda esse desenvolvimento.

A visão é o sentido mais importante no desenvolvimento cognitivo, sendo a miopia em crianças o potencial vilão mais perigoso nesse quesito. Por isso mesmo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) tem alertado quanto à identificação precoce no surgimento desse tipo de risco. Recomenda-se aos pais que estejam atentos aos sinais. Um bom começo é na realização e acompanhamento do exame de vista infantil.

Miopia em crianças: o mal do século?

Em estudo recente publicado no JAMA Ophtalmology, demonstra que houve um aumento de 15,8% nos casos de miopia em crianças chinesas. O estudo relaciona o aumento com a pandemia do novo Coronavírus e o confinamento domiciliar, com queda brusca de atividades ao ar livre, esta que já é comprovadamente aliada no combate à miopia. O uso de telas em excesso também pode ser um complicador.

Sinais de miopia aos quais os pais devem estar atentos

Um dos primeiros sinais é a preferência por aparelhos eletrônicos a outros, já que estes podem ser olhados de muito perto. Este, inclusive, é um segundo sinal: Aproximar tudo para poder enxergar de muito perto. Embora, em crianças de até 2 anos de idade, seja comum, já que é só nessa idade que se dá o desenvolvimento total da visão do bebê. Por fim, o atraso da fala também pode ser um indicativo, já que a leitura labial é uma das ferramentas que os bebês têm para aprender a falar e não conseguir fazê-lo pode gerar uma demora maior.

Estímulos ao desenvolvimento cognitivo da criança

No caso do sentido da visão, é um consenso entre especialistas, de que objetos em movimento e de cores variadas estimulam o desenvolvimento destas. Alguns creem, inclusive, que o estímulo com luzes mesmo com o bebê ainda na barriga possa contribuir nesse sentido. 

De forma geral, o desenvolvimento cognitivo se dá em etapas e em cada uma delas, há maneiras de se estimular melhor e de maneira mais eficaz. Nos primeiros anos de vida, como o bebê ainda não desenvolveu a linguagem completamente, é importante desenvolver atividades lúdicas, ligadas aos sentidos básicos, como os já citados para a visão, mas também dos sons e texturas; como a utilização de músicas e efeitos sonoros em frequências agradáveis e brinquedos de materiais de sensação tátil contrastantes.

Já com a fala em desenvolvimento, é importante fazer os jogos de associação, de objetos à palavras e de palavras a sons. No desenvolvimento posterior, quando a criança já fala e lê o básico é interessante desenvolver o conhecimento, ou seja, dar o significado às coisas e contar sobre sua origem e conteúdo, tudo através de uma linguagem simples e acessível.

Por fim, não deixe de realizar sempre o exame de vista infantil para que se possa detectar eventuais condições que possam prejudicar o desenvolvimento cognitivo da criança.

Doenças infantis que não podem ser combatidas com vacina e alteram a visão

Leia o artigo