Conjuntivite pode ser sintoma de crianças com Covid-19?

Recentemente, um estudo publicado na JAMA Ophtalmology causou burburinho na comunidade científica e muita confusão no público geral por associar a possibilidade do surgimento de conjuntivite como sintoma de Covid-19 em crianças hospitalizadas em Wuhan, na China. Algumas pessoas até buscaram teste da visão infantil para descobrir Covid.

Este estudo foi realizado de 26 de Janeiro a 18 de Março de 2020, no Hospital Infantil de Wuhan. Todas as crianças testadas positivas para Covid-19 foram incluídas no estudo.

Neste artigo, pretendemos resumir a publicação científica original do JAMA, com intenção de ajudar os profissionais da área da oftalmologia e outros a informarem melhor seus pacientes e o público geral. Vamos abordar os pontos principais, sem objetivo de fazer a discussão científica de fundo, pois como todos sabem, a Covid-19 é uma doença nova, que pegou a todos de surpresa.  Portanto, todos estudos que saem, por um lado são importantes, pois é por meio deles que começamos a conhecer melhor a doença.  Por outro lado, requer cautela ao analisar os resultados, já que no momento nada é muito definitivo. 

Qual foi o objetivo da pesquisa?

De acordo com a publicação dos pesquisadores chineses, o objetivo da pesquisa foi descobrir as diversas manifestações clínicas e características, principalmente em crianças, testadas positivas para COVID-19, e não averiguar especificamente a relação da conjuntivite com o vírus.

Resultados

O estudo revela que foram incluídos na pesquisa 216 crianças. Os sintomas mais recorrentes foram febre (37,5%) e tosse (36,6%). Sintomas oculares foram 22,7%. Os sintomas oculares melhoraram eventualmente. Outros sintomas incluem diarreia (5,1%), fadiga (4,6%), coriza nasal (3,2%), congestão nasal (2,8%), descarga conjuntival (2,3%) e congestão conjuntival (1,9%).

Outros fatores chaves

Respondendo à essa pergunta-chave foi descoberto que 22,7% dos pacientes neste caso tiveram alguma manifestação ocular, dentre elas, descarga conjuntival, coceira nos olhos e congestão conjuntival, com ocorrência de tipos diferentes de pruridos. A descoberta também registrou que crianças com sintomas sistemáticos ou tosse, tiveram mais probabilidade de ter sintomas oculares.

Discussão levantada pela pesquisa

O artigo em questão deixa claro que não é conclusivo sobre a correlação de conjuntivite e Covid-19 em crianças. Até então, não havia sido reportado grandes casos de conjuntivite em crianças com Covid-19. Ainda assim, na pesquisa,  verificou-se o número mencionado acima, o que corresponde a 49 pacientes (uma amostra pequena, portanto).

Segundo os pesquisadores, o vírus Sars-Cov-2 pode causar conjuntivite devido à relação fisiológica entre nariz e olhos. Contudo, não há evidências concretas de que tenha sido o vírus a causar a conjuntivite nos pacientes investigados. 

Conclusão

Não podemos estabelecer tal correlação entre Covid-19 e conjuntivite baseados neste artigo. Os próprios pesquisadores admitem limitações importantes, como por exemplo, falta de equipamentos de exames oculares no local para o teste da visão infantil (por se tratar de uma unidade Covid, em isolamento de outras), impossibilidade de realizar teste com o patógeno causador da conjuntivite e, por isso, basearam-se principalmente no relato subjetivo dos pacientes crianças.

Em caso de conjuntivite e sintomas oculares na criança, o mais correto é procurar atendimento médico para tratar do sintoma. Podem ser receitados colírios pelo médico oftalmologista, de acordo com o tipo de manifestação.

 

 

Posts Relacionados

Capa do artigo
Os fatores que os oftalmologistas levam em conta para escolher lentes para catarata

Como já vimos aqui no blog, a catarata é uma lesão ocular que deixa opaco o cristalino (lente localizada atrás da íris cuja transparência permite que os raios de luz o atravessem e alcancem a retina para formar a imagem), o que compromete a visão, deixando-a embaçada. 

A solução para essa condição é cirúrgica, com um procedimento oftalmológico simples, rápido e feito sob anestesia local, que visa substituir o cristalino danificado por uma lente para catarata que recupera a função perdida. É algo altamente eficaz que permite recuperar a visão do paciente.  

A questão das lentes para catarata costuma gerar bastante curiosidade, uma vez que são modelos distintos dos usados no dia a dia para a correção de grau, ficando permanentemente nos olhos dos pacientes.  

Saiba mais sobre lentes para catarata 

Entre as opções de lentes de cirurgia para catara disponíveis no mercado, destacam-se a Triva e a linha de lentes Plus America. Para te ajudar a entender mais sobre esse universo, abaixo apresentaremos mais informações sobre elas. Vale destacar que a escolha do modelo mais adequado é uma decisão que cabe ao oftalmologista, tema que também será explorado mais à frente.  

Triva e as Lentes Plus America 

Tecnologia e Qualidade 

  • Triva: fabricada com tecnologia de ponta de origem alemã e materiais de alta qualidade, garantindo excelente performance óptica e durabilidade. Ela pode oferecer benefícios como correção de astigmatismo e redução do brilho noturno. 
  • Linha Plus America: também são desenvolvidas com tecnologia avançada e são produzidas com insumos norte-americanos, garantindo um alto padrão de qualidade e resultados confiáveis. Há, ainda, estudos a médio e longo prazo que comprovam que não ficam opacas com o passar do tempo, evitando assim a necessidade de uma nova cirurgia para troca de lentes. 

Variedade de Opções 

  • Triva: oferece o modelo de lente intraocular Trifocal, que corrige a visão para três distâncias de foco diferentes: a visão de perto, a visão de distância intermediária (comprimento do braço) e a visão de longe. 
  • Linha Plus America: oferece um catálogo completo de lentes intraoculares, com diversas opções que se adequam às necessidades individuais dos pacientes e às preferências dos oftalmologistas. 

Reputação e Suporte Técnico 

  • Triva: é reconhecida por sua reputação no mercado oftalmológico, contando com suporte técnico e capacitação para oftalmologistas. 
  • Linha Plus America: também é bem-conceituada, com suporte técnico especializado e foco no aprimoramento contínuo de seus produtos. 

Avaliação profissional é fundamental 

Informação nunca é demais e é a maior aliada de um paciente ao tratar de questões relacionadas a sua saúde. Por isso, é importante buscar dados confiáveis sobre doenças, procedimentos, medicamentos e demais itens que farão parte de um tratamento.  

Dito isso, ressaltamos que decisões importantes devem ser tomadas e guiadas por profissionais capacitados. No caso da cirurgia para catarata, o oftalmologista é o profissional indicado para avaliar as condições oculares do paciente, determinar o tipo de lente que proporcionará os melhores resultados visuais e a satisfação geral do paciente, bem como até mesmo indicar onde fazer cirurgia para catarata 

A definição do tipo de lente se dará com base em um exame oftalmológico completo, além de avaliar a indicação em função do estilo de vida e das necessidades do paciente, como suas queixas e planos futuros.  

Portanto, é crucial confiar na expertise do oftalmologista para a escolha da lente intraocular mais apropriada, garantindo que o procedimento seja seguro e bem-sucedido. 

 

 

Leia o artigo
Capa do artigo
A vida depois da cirurgia de correção de miopia com lentes EVO Visian ICL

A miopia é uma condição de visão comum, porém que traz vários empecilhos para a vida de uma pessoas. Principalmente em casos de pessoas com muito graus, um procedimento de correção de miopia pode mudar para sempre a vida e o cotidiano do paciente, abrindo a porta para várias oportunidades que antes eram impossíveis devido a esta limitação.

As lentes intraoculares EVO Visian ICL tornam a possibilidade da correção de miopia uma realidade. Mesmo em paciente com alto grau, onde a cirurgia a laser não é uma possibilidade, as lentes podem ser implantadas com segurança e eficácia.

Neste post iremos ver como as lentes EVO Visian ICL tiveram um impacto positivo na vida de pacientes que passaram pelo procedimento. Mas antes, vamos falar um pouco mais sobre as mesmas, e entender porque este implante pode ser a melhor lente para correção de miopia disponível no mercado atual.

Descobrindo as lentes EVO Visian ICL – Uma inovadora opção de correção de miopia

A EVO Visian ICL é uma lente intraocular desenvolvida para a correção de miopia e astigmatismo. As lentes são feitas de Collamer®, que é um material biocompatível, ou seja, com chances reduzidas de causar infecções, ou de ser rejeitado pelo corpo do paciente.

Uma das inovações das lentes EVO Visian ICL, é que elas são implantadas sem a necessidade de remoção de nenhum tecido córneo, diferente das lentes intraoculares para catarata, por exemplo.

Podendo tratar de casos leves a graves de miopia (até 18 graus), as lentes podem ser uma solução para uma grande variedade de pacientes. Mas o atrativo principal costuma ser para pacientes com alto grau. Isso porque a cirurgia a laser não é indicável para esses casos, pois a mesma “afina” as córneas do paciente, de acordo com o grau. Quanto maior é este grau, maior é o afinamento das córneas, o que também aumenta o risco de ocorrerem problemas decorrentes disto. Como explica a Dra. Adriana dos Santos Forseto, “Geralmente, a partir de 8, 10 graus de miopia (…) a gente já tem uma tendência de indicar um outro tipo de procedimento, que é o implante de uma lente intraocular”.

Com 69 médicos oficialmente autorizados e mais de 280 procedimentos realizados, as lentes EVO Visian ICL cresceram imensamente no mercado nacional de 2020 para cá, fato notável levando em conta todas as incertezas trazidas pela pandemia neste período. Este crescimento, mesmo em um cenário instável, é uma comprovação da alta qualidade do implante.

Para quem a cirurgia de correção de miopia por implante é indicada?

O implante das lentes EVO Visian ICL são indicados para pacientes acometidos por casos de miopia e/ou astigmatismo com idade entre 21 e 60 anos e que não tiveram nenhuma alteração de mais de 0,5D em sua prescrição no último ano. O implante é capaz de corrigir miopia de -6D a -18D, e astigmatismo cilíndrico de até 6D.
O procedimento é rápido, seguro, eficaz e não causa síndrome do olho seco. Além disso, a cirurgia é 100% reversível caso não seja atingido o resultado esperado.

Neste post falamos um pouco mais sobre para quem os implantes intraoculares são mais indicados.

Como as lentes EVO Visian ICL mudam a vida dos pacientes

O alto grau de miopia pode ter muitos impactos na vida de uma pessoa. Podem ser de autoestima, autoconfiança, e pode afetar até a vida profissional. Como era o caso da Ana Maria, que possuía 19 graus de miopia. “Eu sempre quis ser veterinária, sempre quis fazer faculdade de veterinária. Inclusive, eu consegui bolsa, mas eu não fui por isso. Porque eu fiquei pensando ‘E se eu estou fazendo uma cirurgia e na hora eu não enxergo (…) e eu faço alguma coisa errada?'” – relata Ana.

Para Ana Maria, a velocidade e eficácia do procedimento foram emocionantes. “Eu fiz a cirurgia no dia 14 de abril, no dia 15 foi o meu retorno. A hora que eu cheguei no consultório eu já estava enxergando praticamente perfeito. Tanto que a hora que eu fui fazer o teste de leitura eu até me emocionei, porque realmente eu nunca tinha conseguido ler daquele jeito.”

Também não foi diferente para Lucas Mateus, que sonhava em ser bombeiro, mas era impedido pelo seu alto grau de miopia:  “O limite para poder passar no exame médico é um grau e meio. E eu com meus 17, ali para 18 anos já estava usando 6 graus.”

A cirurgia mudou para sempre a vida do jovem, que passou a enxergar normalmente após o implante. “Todo mundo reparou que eu estava sem óculos, porque muda a feição da pessoa, muda o semblante da pessoa, a estética, então mudou muito na minha vida.” – conta Lucas, que agora pode seguir seu sonho de se tornar bombeiro e ajudar as pessoas. “Eu enxergo um novo futuro para mim, enxergo novas oportunidades para mim por causa dessa cirurgia. Essa é a liberdade que eu queria”.

Já para Reginaldo Braz, o incômodo estético dos óculos fundos na adolescência o levou para as lentes de contato. Segundo o rapaz, “Esteticamente, isso começou a pesar muito. Foi aí que eu tive acesso às lentes de contato”. O uso prolongado de lentes acabou causando alguns danos aos olhos do jovem, que eventualmente foi forçado a abandoná-las. Ele conta, “O meu olho já estava bem cansado. Pouco antes da cirurgia eu já não estava dando conta mais de ficar de lente”.

Assim como Lucas e Ana Maria, Reginaldo também tinha miopia acima de 8 graus, que já não é mais recomendável a correção com cirurgia a laser. Porém, as lentes intraoculares EVO Visian ICL tornaram realidade o sonho da correção de miopia.

Reginaldo relatou surpresa com o quão rápido é todo o processo. “É estranho até. Você sentou numa mesa de cirurgia por 10, 15 minutos e no outro dia você está enxergando muito bem com o olho que você operou”.

Todos também relataram um pós-operatório simples e livre de complicações. Após a correção de miopia com as lentes EVO Visian ICL, todos podem agora seguir suas vidas e seus planos normalmente.

“Ainda é estranho acordar no meio da madrugada para pegar um copo de água na geladeira e estar enxergando tudo” – conclui Reginaldo, de maneira bem humorada.

 

Leia o artigo
Capa do artigo
Aniridia tem tratamento. Saiba como funciona a Iris Artificial

Você sabe o que é Aniridia 

Caso não tenha a doença ou não conheça alguém que seja acometido por ela, provavelmente nunca ouviu algo sobre a tal. 

Não tão conhecida popularmente, a Aniridia é um distúrbio ocular associado, em sua maioria, a fatores genéricos e que afeta uma pessoa a cada 50 a 100 mil nascimentos. Ela se dá pela má formação da íris, parte colorida do olho, deixando a pupila bem maior que o normal. Pode ocorrer também em caso de acidentes. 

Sua causa resulta da alteração de um gene localizado no braço curto do cromossomo 11, responsável por comandar vários processos genéticos envolvidos no desenvolvimento ocular. 

Os efeitos causados pela Aniridia na visão 

A forma como a doença prejudica a visão depende muito de sua extensão e de quais partes do olho são afetadas. As pessoas acometidas pela Aniridia podem ter uma visão de muito boa a muito ruim, e a maioria delas está entre esses extremos.  

Além da íris, ela pode afetar a córnea (aumento do risco de abrasões e cicatrizes), as estruturas angulares (causando glaucoma em aproximadamente 50% dos pacientes), o cristalino (causando catarata em 50 a 80% dos pacientes), o nervo óptico (por exemplo, hipoplasia) e a retina (por exemplo, hipoplasia foveal).  

Além disso, as crianças costumam ter algum grau de nistagmo, o que prejudica a qualidade visual, bem como as pupilas grandes, que causam sensibilidade à luz. 

A boa notícia é que pode ser facilmente identificada e há formas de tratá-la. 

O diagnóstico 

O diagnóstico da Aniridia é clínico, por meio de observação médica, e a confirmação acontece com teste genético. Pessoas com suspeita da doença devem consultar um oftalmologista o quanto antes para diagnosticar e tratar outras possíveis alterações.  

Tratamento para Aniridia 

A Aniridia não tem cura e as crianças diagnosticadas precisam de exames oftalmológicos regulares para avaliar a visão, a necessidade de óculos e para triagem de glaucoma e catarata.  

No caso de desenvolvimento de glaucoma, o tratamento é com colírios, mas pode exigir cirurgia. Se a visão for reduzida por uma catarata, a remoção do cristalino com ou sem um implante de lente intraocular pode ser indicada. A lubrificação da superfície ocular com lágrimas artificiais pode ajudar nos problemas da córnea. 

Há, ainda, como tratar e solucionar os sintomas com o uso da prótese de íris. 

Conheça a Íris artificial 

O implante de íris dobrável é uma alternativa satisfatória de tratamento para Aniridia, proporcionando recuperação médica e estética.  

A Íris Artificial Humanoptics, disponibilizada no Brasil pela Advance, é a opção ideal para casos da doença total ou parcial. Feita de um silicone altamente biocompatível e flexível, viabiliza uma variedade de métodos de implantes de acordo com as condições específicas do olho afetado, ainda pode ser combinada com quase todos os modelos de lentes intraoculares.  

Os benefícios surpreendem: no dia seguinte, os pacientes podem usar os olhos normalmente.  ​E dentre os resultados está a redução da sensibilidade à luz, com diminuição de fenômenos fóticos, aumento da sensibilidade ao contraste e eliminação de defeitos de transiluminação. 

Para a aplicação da íris artificial é preciso ter a partir de 21 anos e antes fazer a cirurgia de catarata. Não há contraindicações e o pós-operatório consiste em repouso físico de 7 a 10 dias para retomada das atividades normais e de aproximadamente 30 dias para recuperação visual perfeita.

O implante deve ser feito por profissional certificado e não pode ser usado para fins estéticos (mudança de cor da íris). Vale destacar que não existe no mercado técnica para tal que seja recomendada. 

Para saber mais sobre o tratamento da Aniridia com íris artificial, consulte um cirurgião oftalmologista certificado, que fará uma avaliação detalhada e solicitará os exames necessários. 

Leia o artigo