Tecnologia
Compartilhe:

7 exames oftalmológicos que devem ser feitos em consultas de rotina

Postado em 11 de março de 2020 por advancevision

É preocupante saber que 34% dos brasileiros nunca foi ao oftalmologista. Esse índice chega a 44% quando fazemos o recorte do cenário nas classes C e D. O dado do Ibope é um alerta para que os médicos, além de cuidar de doenças nos olhos iniciem um trabalho de conscientização da população quanto a importância de cuidar da saúde ocular.

Paralelamente a isso, é importante que os oftalmologistas estejam preparados para, dentro do consultório, realizar sete exames oftalmológicos em consultas de rotina:

#1 – Refração

Com o exame de refração é possível verificar a qualidade da visão do paciente e o grau de lentes recomendado para ele, além da existência de problemas relacionados a patologias, como miopia, astigmatismo, hipermetropia ou presbiopia. Para isso, é necessário o uso de dois aparelhos: refrator e autorrefratorrefrator.

#2 – Gonioscopia

É com esse exame que os médicos avaliam a câmara anterior do olho, que fica entre a íris e a córnea, com capacidade de mapear a pressão intraocular. Por meio desse exame de olhos é possível detectar doenças oculares, como glaucoma, traumas oculares e tumores na íris.

#3 – Mapeamento de retina

Esse mapeamento avalia tanto a retina quando o fundo do olho do paciente. O objetivo é verificar a presença de lesões ou doenças nos olhos severas. Para a realização do procedimento é fundamental dilatar o olho do paciente com colírio. É possível realizar um exame de triagem por meio do oftalmoscópio, que lança um feixe de luz sobre o olho do paciente e mapeia 30 graus do globo ocular. Porém, para uma avaliação mais detalhada a recomendação é fazer uso de um retinógrafo, que fotografa os olhos e avaliando os riscos de doenças que não são possíveis de serem mapeadas pelo oftalmoscópio.

#4 – Motilidade ocular

Esse exame de olhos é utilizado para avaliar o alinhamento dos mesmos, além de verificar a movimentação e musculatura ocular. É um procedimento bastante recomendado para diagnosticar o estrabismo.

#5 – Reflexo Pupilar Aferente

Serve para avaliar a reação da pupila em relação ao contato com a luz. Em geral, com luzes intensas a pupila se contrai e quando a claridade diminui ela se dilata. A velocidade ou a ausência dessas reações podem indicar a presença de lesões graves na retina ou doenças no nervo óptico.

#6 – Teste de visão de cores

Dados do Nacional Eye Institute, dos Estados Unidos, estimam que 8% dos homens e 0,5% das mulheres do mundo apresentam algum grau de daltonismo, que é a redução da capacidade de identificar certas cores. Imagine como isso pode ser ruim no dia a dia? Por isso, é importante a inclusão do teste de visão de cores entre os exames oftalmológicos de rotina.

#7 – Tonometria

A pressão ocular é considerada normal quando varia entre 10 e 21 mmHg e quando está muito alta pode indicar que o paciente tenha glaucoma, uma das doenças nos olhos que pode levar à cegueira. A tonometria é o procedimento capaz de medir essa pressão ocular.

É indiscutível o quanto a visão é importante para o nosso bem-estar e a nossa qualidade de vida. É por meio dela que nosso cérebro recebe grande parte das informações que armazenamos. Então, não deixe de ressaltar aos pacientes a importância da realização de exames oftalmológicos.


Posts Relacionados