Miopia
Compartilhe:

Entenda mais sobre a síndrome da visão de computador que afeta cada vez mais pessoas

Postado em 14 de julho de 2022 por advancevision

Com o uso das tecnologias e aumento do tempo de tela, surge um problema associado. Uma doença recentemente catalogada no rol das doenças oculares, causada por longas horas de uso de telas eletrônicas, que pode provocar olho seco, irritação, entre outras.  

A Síndrome da Visão de Computador (SVC) já está catalogada nos livros de medicina. A SVC afeta cerca de 90% das pessoas que passam três horas ou mais no computador, segundo o National Institute for Occupational Safety and Health, dos Estados Unidos. 

Neste artigo vamos conhecer um pouco das causas, sintomas, tratamento e, mais importante, a prevenção. 

O que é a SVC (Síndrome de Visão de Computador)? 

Apesar de manifestar em qualquer idade, é mais comum nos adultos. Trata-se do conjunto de sintomas causados pela alta exposição a telas eletrônicas, portanto, uma condição temporária, diferente de outras doenças oculares.  

Alguns sintomas relacionados à SVC são: 

  • cefaleias; 
  • visão embaçada; 
  • dores no pescoço; 
  • fadiga; 
  • astenopia; 
  • secura nos olhos; 
  • diplopia; 
  • dificuldade em focar os olhos. 

 Quais são as causas da SVC? 

 A exposição prolongada a telas eletrônicas pode diminuir a frequência com que piscamos. A frequência de piscar os olhos em seres humanos é, normalmente, de 16 a 20 vezes por minuto. Quando em uso de telas, essa frequência pode cair para apenas 6 piscadas por minuto. 

Piscar os olhos é fundamental para sua lubrificação e sua proteção contra agentes externos, como a poeira, resíduos e sólidos. Isso pode levar à diminuição do reflexo para piscarmos os olhos e, assim, gerar a síndrome.  

Também o esforço de focar o olho, aumento por má iluminação ou por muita proximidade da tela, leva à astenopia, que é a dificuldade de focar. Isso é mais comum em pessoas com mais de 30 anos, que pode levar até mesmo ao aparecimento de presbiopia prematura. 

 Tratamento e prevenção 

Um dos sintomas mais comuns e que mais incomodam o paciente de SVC é o olho seco. Tal sintoma deve ser tratado com colírios e umidificadores, de acordo com indicação de um oftalmologista habilitado. 

Porém o sintoma mais grave, de fato é a astenopia, que pode levar o paciente até mesmo a confundir com miopia, astigmatismo ou outros problemas refrativos e doenças oculares. 

 Para essa dificuldade de focar, seja mais temporária ou quando se apresenta permanentemente, um oftalmologista deve ser consultado, porém, o tratamento comumente será ou o descanso da vista, ou, no caso de um quadro permanente, o uso de lentes corretivas. 

 Há prevenção ou mitigação do problema, contudo. Um exercício fácil de se fazer, além de natural é a prática de atividades ao ar livre. Estudos demonstram que até mesmo para prevenção de miopia, atividades ao ar livre são eficazes. 

Outro exercício que tem ficado conhecido é a do 20-20-20, para cada 20 minutos de exposição à tela, dar 20 segundos de pausa olhando para um objeto a 6 metros (20 pés) de distância e piscar várias vezes. 

Míopes e operados com cirurgia refrativa 

As pesquisas não demonstram evidências de que a SVC não possa afetar da mesma forma míopes e operados com cirurgia refrativa. Embora, aqueles que removeram o cristalino (lente natural) não podem mais desenvolver presbiopia como consequência. Já os míopes podem ter até o aumento do grau da miopia em virtude, não da SVC propriamente dita, mas do uso de telas. 

De qualquer forma, consulte sempre um oftalmologista para um diagnóstico e tratamento precisos. 


Posts Relacionados