Mercado
Compartilhe:

RetCam: saiba como escolher a lente ideal para um diagnóstico rápido e preciso

Postado em 13 de janeiro de 2021 por advancevision

Conscientizar os adultos a se preocuparem com a visão das crianças desde cedo é fundamental para evitar problemas oculares que podem levar a danos irreversíveis. A primeira avaliação com equipamentos oftalmológicos é feita nas primeiras horas de vida do bebê, ainda na maternidade. Muito comum, esse primeiro exame de visão dos recém-nascidos é conhecido como teste do olhinho ou teste do reflexo vermelho (TRV)

Resumidamente, com o auxílio de um aparelho com fonte de luz é realizada a primeira triagem ocular para verificar se o reflexo vermelho está presente nos olhos. Caso esteja ausente ou diferente de um olho para outro, uma avaliação oftalmológica mais completa deve ser realizada prontamente para o diagnóstico precoce de doenças como Retinopatia da Prematuridade  e o Retinoblastoma.

Porém, o teste do olhinho tradicional não detecta problemas de fundo de olho. O complemento do mapeamento do globo ocular por meio do Teste Digital do Olhinho, realizado com o retinógrafo RetCam, é mais eficaz e fundamental para auxiliar identificar patologias mais graves na visão dos recém-nascidos. Uma avaliação completa do olho e a escolha da lente correta na realização do exame pode, inclusive, predizer e encaminhar para um diagnóstico precoce de doenças neurológicas. 

Considerada a tecnologia mais avançada do mercado em mapeamento e avaliação de retina, o Retcam garante alta resolução nas imagens e um diagnóstico rápido e preciso. Conheça as lentes disponíveis e as diferenças entre elas. 

 

Precisão no diagnóstico!

O conjunto de lentes que acompanha o sistema RetCam torna o exame mais fácil e tem diversas aplicações na detecção precoce das enfermidades oftalmológicas, tanto na visão dos recém-nascidos, quanto em crianças e adultos. Escolher a lente certa de acordo com cada paciente permite a melhor imagem anatômica e facilita o diagnóstico. 

O : 130 graus, lente de maior campo de visão, possibilita a visualização ampla de periferia; 120 graus, lente muito próxima a de 130 graus, possui um contraste maior em relação a de 130; 80 graus e 30 graus, possui um campo menor, mas excelentes para identificar estruturas, devido aproximação/zoom e lente panorâmica para  retrato de estruturas externas. O equipamento oftalmológico possui uma família de lentes intercambiáveis ​​que fornecem uma ampla gama de opções de imagem e que permitem ao médico visualizar a patologia ocular anterior e posterior. São elas:

Lente D1300

Campo de visão: 130°

Aplicações: pediátrica

Benefícios: ponta pequena e ângulo de iluminação para bebês – triagem para a ROP, Retinoblastoma e Shaken Baby Syndrome

Lente B1200

Campo de visão: 120°

Aplicações: pediátrica

Benefícios: triagem e documentação de Retinoblastoma & Shaken Baby Syndrome. Possui um maior contraste, em comparação com a de 130º

Lente E800

Campo de visão: 80°

Aplicações: pediátrica e adulto

Benefícios: contraste de imagem em 80º para crianças e adultos. Excelente para olhos mais escuros, Retinoblastoma, Shaken Baby Syndrome e adulto pólo posterior.

Lente C300

Campo de visão: 30°

Aplicações: pediátrica e adulto

Benefícios: visualização de imagem de disco óptico e mácula em crianças e adultos. Visualização de 30º. Sem contato de imagem de segmento anterior em crianças e adultos.

Lente Panorâmica

Aplicações: pediátricas e adulto

Benefícios: visualização de estruturas externas, cílios pálpebras.

Dupla certa!

Unir a expertise do médico oftalmologista com o uso correto das lentes do Retcam é essencial para garantir um diagnóstico precoce na visão dos recém nascidos, controle e prevenção de doenças oculares, incluindo as severas e progressivas, como retinoblastoma, retinopatia da prematuridade, coloboma íris, entre outras. 


Posts Relacionados