Doenças
Compartilhe:

Oclusão da veia central por Covid-19. Entenda mais sobre o problema

Postado em 21 de junho de 2022 por advancevision

Desde que o mundo conheceu a pandemia do novo Coronavírus, uma das sequelas relatadas estão relacionadas a problemas oculares, tais como olho seco. 

Por ser uma doença ainda muito nova e amplamente desconhecida, a Covid-19 gera muitas inquietações. Nesse sentido, houve um aumento nos últimos 6 meses de incidências de buscas no Google relacionadas a “visão e Covid”. Você que é oftalmologista pode estar notando o mesmo movimento no seu consultório. 

Oclusão da veia central do olho por Covid-19 

Estudos recentes chamam atenção: 65 pacientes apresentaram “oclusão da veia central” após serem infectados com a variante ômicron. O estudo conduzido pela Universidade do Michigan e publicado pela renomada “JAMA” (Associação Médica Americana) analisou 432.512 pacientes e demonstrou ocorrência de 65 casos de oclusão da veia central, relacionados à Covid-19.  

Contudo, o problema, segundo o estudo, a oclusão venosa retiniana se apresentou seis meses depois, ou seja, como sequela da infecção pelo novo coronavírus. 

Segundo a Universidade de Navarra, esta doença é a segunda principal causa de cegueira por causa de patologia vascular ocular na Espanha, ficando atrás da retinopatia diabética. Igualmente, hipertensão arterial e diabetes descontrolada podem propiciar o surgimento da doença. 

Cuidados com nossos olhos e Covid-19 no Brasil 

O Brasil foi um dos países mais afetados pela Covid-19 em todo o mundo. O país fechou 2021 com a marca de 22 milhões de casos confirmados e mais de 600 mil mortes. As chances de que tenha havido muitos casos de doenças oculares como decorrência direta ou sequelas de forma ainda não-identificada, portanto, são grandes. Daí a importância dos médicos da área estarem atentos aos novos estudos conduzidos que relacionam Covid-19 e doenças oculares. 

As causas indiretas também preocupam. Segundo a própria OMS, a pandemia e o isolamento social afetaram os cuidados com os olhos, uma vez que obrigou muitas pessoas a desmarcarem cirurgias de catarata e miopia, interromperem tratamentos e também as idas mais regulares ao médico. Tudo isso fez aumentar casos de doenças oculares e até mesmo o aumento da epidemia de miopia. 

 É hora de ter mais atenção a pacientes com possíveis sequelas 

Levando todo este cenário em consideração, é importante que o médico esteja capacitado e seu consultório equipado para poder tratar possíveis situações e condições até pouco tempo inexistentes. Vivemos numa época de novidades e as tecnologias, bem como nosso conhecimento, devem acompanhar no intuito de cuidar sempre melhor das pessoas.  

O Faros, por exemplo, é um dispositivo cirúrgico eficiente e poderoso para cirurgia de catarata, vitrectomia e glaucoma. O aparelho possui versatilidade e tecnologia inovadora, além de alto conforto para o usuário e permite a realização de cirurgia ocular no mais alto nível. 

O aparelho Faros para catarata dispõe da easyPhoto, a facoemulsificação com estabilidade insuperável da câmara e aspiração eficiente de fragmentos. Já para glaucoma, a esclerectomia profunda de alta frequência (HFDS) garante excelentes resultados a longo prazo e tem uma taxa de complicações extremamente baixa e um curto tempo de intervenção. Por fim, no tratamento de vitrectomia, os sistemas Caliburn Trocar criam um acesso ideal ao segmento posterior e permitem cortes suaves e excelente tensão da ferida. 

A plataforma Faros é comercializada pela Advance Vision. Entre em contato conosco para saber mais! 


Posts Relacionados