A importância de educar seus pacientes sobre o check-up frequente dos olhos

Quando se fala em check-up, o primeiro especialista que vem à mente dos brasileiros é o cardiologista, que costuma não apenas cuidar da saúde do coração, como também solicitar todos os exames e procedimentos para confirmar se a saúde do paciente está em dia. Essa prática é importante e essencial e deve, sim, ser feita anualmente. O grande problema é que no meio de todo esse processo, um órgão muito importante acaba sendo deixado de lado: os olhos.

Não é de hoje que a maior parte das pessoas só procura por um oftalmologista quando, de fato, tem algum problema a ser endereçado. Independente da gravidade, sendo uma miopia ou alguma patologia de caso cirúrgico, as pessoas não foram conscientizadas da importância de também se fazer o check-up dos olhos anualmente, procedimento que pode ajudar a identificar diversos problemas que afetam sua saúde e bem-estar. Fazer essa checagem possibilita a identificação de algumas anormalidades, como tumores, diabetes, hipertensão e até mesmo colesterol alto.

Além disso, muitos dos problemas que atingem a área dos olhos atuam de forma silenciosa e, muitas vezes, só são identificados em estágio avançado, como é o caso da catarata e do glaucoma. Este último, por exemplo, por ser um distúrbio causado pela alta da pressão intraocular, pode provocar lesões no nervo ótico e, se não tratado, pode levar à cegueira. Como em alguns casos o glaucoma pode ser hereditário, fazer o check-up dos olhos com um aparelho para medir pressão ocular é imprescindível para a prevenção e tratamento adequados antes de um possível agravamento do quadro.

Outro ponto importante é manter o consultório bem equipado com aparelhos inovadores e potentes, que ofereçam a devida tecnologia para cirurgias de glaucoma, catarata e vitrectomia. A Advance Vision traz ao mercado brasileiro inúmeros equipamentos tecnológicos que conseguem atender às mais diversas necessidades dos oftalmos. Plataformas como OS4, FAROS e CataRhex3 oferecem versatilidade, portabilidade, qualidade e segurança em procedimentos de alta performance.

Sobre a importância do check-up dos olhos

Para conscientizar seus pacientes, é essencial que o oftalmologista invista em formas de estreitar a relação, visando comunicá-los de forma clara e humanizada sobre a importância dos check-ups oftalmológicos recorrentes. Confira algumas dicas para colocar essa aproximação em prática:

● Tenha os dados e contatos dos seus pacientes sempre atualizados;

● Invista em uma plataforma de CRM própria para o setor de saúde, para facilitar o acesso a todo o histórico dos pacientes;

● Disponha de um sistema de agendamento fácil e simples para que tanto pacientes (ou responsáveis, no caso de menores de idade) quanto sua própria equipe possam acessar;

● Esteja presente também fora do consultório: utilize ferramentas como e-mail marketings/newsletters e até mesmo as redes sociais.

Boas relações interpessoais alinhadas à tecnologia formam o conjunto para se tornar um profissional completo e cada vez mais alinhado às boas práticas do mercado. Para manter seu consultório atualizado com o que existe de mais especializado e potente em termos de equipamentos oftalmológicos, conte com a Advance Vision. Entre em contato com a equipe comercial para saber mais sobre as tecnologias disponíveis.

Posts Relacionados

Capa do artigo
Estudo revela que miopia também pode ter relação com alta escolaridade

Quanto mais a ciência evolui, mais descobrimos e aprendemos sobre o corpo humano e as doenças que o acometem. A miopia, uma das doenças dos olhos mais comuns,  é caracterizada pela dificuldade de enxergar à distância, que é também o sintoma mais evidente. Além deste, o míope também pode sentir fortes dores de cabeça e a necessidade de apertar as pálpebras para ver claramente.  

Devido à incidência elevada, a miopia segue sendo estudada pela comunidade médica. Fruto disso são as evoluções de tratamento – como o uso de lente intraocular para correção da miopia - e as descobertas sobre sua origem, que tem grande fator genético. 

Além do fator genético, recentemente um estudo identificou outras cinco variantes que aumentam o risco de miopia em adultos quando relacionadas a altos níveis de escolaridade, que implicam em mais tempo dedicado aos estudos e pouco tempo de ar livre. 

Saiba mais sobre o estudo que analisa o que causa miopia 

Realizado pela Universidade de Cardiff e publicado na revista Plos Genetics, ele teve como base as informações de mais de 340 mil pessoas do Reino Unido. Seus resultados mostraram que essas cinco variantes genéticas aumentam gradativamente o perigo de miopia conforme o grau de escolaridade da pessoa, principalmente as que possuem nível superior. Interessante, não? 

Dos cinco genes verificados, três nunca haviam sido identificados, enquanto os outros já haviam sido mapeados em levantamentos epidemiológicos do leste da Ásia, onde aproximadamente 80% das crianças desenvolvem a miopia, contra 30% dos ocidentais, segundo os autores.  

Segundo o principal autor do estudo, algumas pesquisas realizadas encontraram 450 genes que podem ser relacionados com a miopia. Mas, para seu estudo, um grande banco de dados genético e de saúde do Reino Unido foi utilizado, contemplando dados que vão além das condições médicas, como a escolaridade dos participantes. Assim, foi possível buscar variantes que, ao serem relacionadas com maiores níveis de escolaridade, teriam a chance de aumentar a suscetibilidade das pessoas à doença visual. 

O autor destaca que a pesquisa não foi determinante, reforçando a necessidade de novos estudos para entender com mais detalhes a conexão entre tais características genéticas e os hábitos de vida. Porém, vale destacar que isso não minimiza a importância das descobertas, que são inéditas. 

Como mencionado, o estudo foi realizado no Reino Unido e as variantes podem ser diferentes em outros locais do mundo. Há muito a se descobrir e aprender sobre o que causa miopia. 

Felizmente, o que se sabe atualmente já ajuda significativamente a melhora da qualidade de vida das pessoas que têm a condição, exemplo disso é a cirurgia de correção da miopia, que pode até mesmo solucionar casos de graus elevados com o uso de lentes intraoculares.  

Leia o artigo
Capa do artigo
Luz azul: os cuidados que você precisa ter com seus olhos

Já é de conhecimento geral que a luz artificial proveniente de telas pode causar danos à visão. Pouco se sabe, porém, como exatamente esses danos são causados, por que a miopia aumenta em casos de contato excessivo com telas, e quais cuidados devem ser tomados para evitar estes males à visão.

No mundo de hoje, onde praticamente todo mundo passa uma quantidade de tempo considerável olhando para telas de celulares, além dos que trabalham na frente de computadores. Este tipo de cuidado passou a ser de interesse geral, não só daqueles que possuem graus de miopia. Explicaremos aqui por que a miopia aumenta quando há contato excessivo com telas, e também quais cuidados todo mundo pode e deve tomar com este tipo de luz para evitar danos à visão.

Por que a miopia aumenta com muita exposição à luz azul?

Define-se como “luz azul” toda luz artificial emitida por LEDs, como em telas de celulares e outros dispositivos eletrônicos. A exposição prolongada a este tipo de luz está associada a diversos problemas de visão, incluindo o aumento de graus de miopia.

O nome “luz azul” se deve ao fato de que telas eletrônicas emitem uma radiação na frequência da cor azul. Esta radiação interfere diretamente com a produção de melatonina, um hormônio que, entre outras funções, controla o alongamento do glóbulo ocular – um dos fatores que causam o aumento da miopia.

Além de ser um dos fatores que explica por que a miopia aumenta, a luz azul também pode trazer outros problemas para a saúde dos olhos.

Outros males da luz azul para a visão

Os danos causados à visão por telas são tão comuns que já têm até uma designação própria como doença visual: a Síndrome Visual do Computador (SVC). Mas como estes danos são causados?

Estudos clínicos descobriram que quando estamos olhando para telas, nós piscamos menos vezes do que o normal. O ato de piscar pode parecer algo mundano, mas na verdade é uma espécie de mecanismo de manutenção natural do nosso corpo. Cada vez que nós piscamos, nós estamos lubrificando os nossos olhos. Sendo assim, quando o ritmo de piscadas natural diminui, nosso olho pode ficar ressecado, o que causa irritação e desconforto nos olhos.

Excesso de radiação de luz na frequência azul também pode causar lesões no olho humano, com inflamações dolorosas da conjuntiva da córnea. A longo prazo, também pode vir a causar lesões no cristalino do olho (fato que pode evoluir para um quadro de catarata).

A luz azul também é prejudicial à retina, podendo causar a degeneração macular – quadro que é caracterizado pela formação no depósitos amarelos sob a mácula (centro da retina), normalmente observado em pessoas de idade mais avançada e que causa visão turva.

Cuidados com telas e luz azul

Com toda essa informação, pode parecer que a luz azul é algum super vilão da visão, mas a verdade é que com alguns cuidados já é possível mitigar os danos.

– Existe um exercício simples para impedir que telas aumentem o grau de miopia. A cada 20 minutos de exposição a telas ou outras fontes de luz azul, passe 20 segundos com o olhar fixo em algum objeto há mais ou menos 6 metros de distância. Isso faz com que o nosso olho readapte para olhar à distância.

– Para os míopes, também é importante evitar telas perto do horário que você costuma dormir. Isso porque conforme o dia avança e chega mais perto da hora de dormir, o nosso cérebro começa a produzir melatonina, que, como visto acima, é um dos hormônios que regulam o alongamento ocular.

– Não mantenha dispositivos como celulares e tablets muito próximos do seu rosto quando os estiver usando. Uma distância de pelo menos 70 cm entre a tela e os seus olhos é recomendada.

– Lembre-se de piscar mais quando estiver em frente a telas, para manter seus olhos lubrificados.

– Quando for fazer o uso de telas, procure fazê-lo em ambientes bem iluminados.

– Considere investir em óculos com lentes que filtram luz azul.

Possuo implante de lentes intraoculares, devo tomar cuidados extras com a luz azul?

Para quem fez implantes de lentes intraoculares, os cuidados devem ser os mesmos, a não ser que algo a mais tenha sido especificado pelo seu médico. Porém é bom prestar atenção redobrada em alguns pontos, especialmente quem fez os implantes para corrigir a miopia.

O alongamento do glóbulo ocular causado por deficiência de melatonina, por exemplo, é um problema que ocorre mesmo com os implantes, e pode fazer com que estes percam a eficácia com o tempo. Isso responde por que a miopia aumenta mesmo com implantes em alguns casos.

A hidratação do olho também é especialmente importante para pacientes com implantes de lentes intraoculares. Além de evitar irritações, ajuda a prevenir o desenvolvimento da síndrome do olho seco, que pode ser comum em pessoas que fizeram os implantes para tratar a miopia.

Caso ainda tenha dúvidas, lembre-se de sempre entrar em contato com o seu médico oftalmologista. Um profissional qualificado é sempre a melhor pessoa para orientar e tirar suas dúvidas clínicas.

Leia o artigo
Capa do artigo
Entenda como cuidar da sua visão depois da cirurgia de correção com lentes intraoculares

Pacientes com alto grau de miopia, cada vez mais, têm optado pela cirurgia de correção com lentes intraoculares, em substituição aos tradicionais óculos e lentes de contato ou mesmo às tecnologias de cirurgia à laser.

Dentre outras vantagens, as lentes intraoculares (LIO) não precisam ser trocadas para o resto da vida e o paciente, geralmente, estará com a visão perfeita em poucos dias.

A seguir, vamos esclarecer alguns pontos sobre as lentes implantáveis. Contudo, é sempre bom lembrar que o implante intraocular não é para qualquer um e há restrições específicas, como não ter alteração no grau nos últimos 6 meses. Isso é importante recordar, porque a miopia aumenta!

A partir de quantos graus de miopia posso fazer cirurgia de correção refrativa?

As lentes implantáveis são recomendáveis às pessoas com moderado e alto grau de miopia,  e para pacientes que não podem ser operadas por laser. Mas isso deve ser analisado caso a caso. Por isso, não deixe de consultar um médico oftalmologista.

EVO Visian ICL™: Nova geração de Lentes Intraoculares

Desde 2020, no Brasil, já temos à disposição tecnologia exclusiva e de ponta no ramo de lentes implantáveis intraoculares. Trata-se da EVO Visian ICL™.

As lentes ICL são implantadas sem a remoção do cristalino do olho, o que é comumente o processo das lentes implantáveis de catarata, por exemplo. Também não há desgaste da córnea como acontece nos procedimentos à laser.

Outra grande diferença é a opção de reverter o procedimento através de um explante, cujo procedimento é rápido e indolor e permite que o paciente possa atualizar as lentes ou tratar outros problemas de visão ao longo da vida.

E mais: para a maior segurança dos pacientes, os médicos que trabalham com as lentes ICL são todos treinados e certificados.

Como é o pós-operatório do implante das lentes ICL?

Outro ponto de atenção de todo paciente que busca uma operação corretiva é o pós-operatório. É comum notícias alarmantes de que maus cuidados possam levar a problemas sérios e até mesmo perda da visão.

Porém, podemos nos tranquilizar com relação às lentes implantáveis, especialmente a EVO Visian ICL. Em geral, o procedimento é rápido e indolor e a recuperação se dá em poucos dias.

No entanto, sempre são necessários cuidados específicos e uma atitude de prevenção para uma boa e completa recuperação.

Vamos listar alguns itens importantes:

– Evitar apertar e coçar os olhos;
– Esforços físicos moderados poderão retornar em 3 dias;
– Não forçar a visão nos 3 primeiros dias;
– Retorno ao trabalho é possível em 2 a 4 dias;
– Evite esporte de contato nos 15 primeiros dias;
– Fazer o acompanhamento com o médico oftalmologista;
– Entrar em contato em caso de qualquer desconforto;
– Usar óculos de sol nos primeiros dias para maior proteção.

Quais cuidados tomar com as novas lentes intraoculares?

No caso das lentes ICL Visian, como é feita de material biocompatível e flexível, nenhum cuidado com a lente especificamente é necessário, além dos cuidados naturais do pós-operatório. Como o material tem uma durabilidade muito maior do que a vida média das pessoas, o mesmo não requer manutenção e deve durar por toda a vida.

 

É possível evitar a progressão do Ceratocone?

Leia o artigo